domingo, 10 de maio de 2015

Relatos Selvagens

Relatos Selvagens (Relatos Salvajes, Argentina / Espanha, 2014) – Nota 8,5
Direção – Damian Szifron
Elenco – Ricardo Darin, Leonardo Sbaraglia, Dario Grandinetti, Oscar Martinez, Maria Marull, Walter Donado, Erica Rivas, Diego Gentile.

Um filme dividido em episódios e com pitadas de humor negro e nonsense, seria uma receita perfeita para um grande fracasso, porém o trabalho do diretor e roteirista Damian Szifron resulta numa ótima surpresa. 

As seis histórias, sendo a primeira uma espécie de prólogo, focam nos defeitos dos seres humanos e nos problemas da sociedade que transformam a vida atual em um verdadeiro inferno. 

A proposta é mostrar como seria o mundo se as pessoas levassem seus sentimentos e suas ações até as últimas consequências. Vingança, ganância, mentira, traição e violência são os ingredientes principais. 

Para não estragar a surpresa, vou destacar apenas o local onde se passa cada história, que por sinal, parecem seguir um curioso caminho, como se fosse uma viagem do espectador. 

O prólogo se passa em um avião, a segunda história em uma lanchonete de beira de estrada, a terceira ocorre com dois carros na estrada, a seguinte se passa em Buenos Aires com uma trama totalmente urbana. A quinta trama tem como local a casa de um milionário e a última em um casamento. 

Apesar das seis tramas seriam ótimas e inteligentes, fica claro que as três últimas histórias são mais bem trabalhadas, além de serem um pouco mais longas. 

O resultado é mais um grande filme do cinema argentino. 

4 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Uma comédia mordaz, de tirar o fôlego, sobre as verdades do comportamento humano sob pressão. Nota merecida.

Cumps.

Hugo disse...

Gustavo - O filme ganha muitos pontos por ser um gênero complicado. Realmente foi um grande acerto do diretor.

Abraço

Amanda Aouad disse...

O que acho mais interessante é que a cada história, o nível vai melhorando, é uma escalada mesmo. Um ótimo filme.


bjs

Hugo disse...

Amanda - Criar seis histórias de qualidade no mesmo filme é para dar os parabéns ao diretor/roteirista.

Bjos