sexta-feira, 13 de março de 2015

Twin Peaks & Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer


Twin Peaks (Twin Peaks, EUA, 1990) – Nota 8  
Direção – David Lynch
Elenco – Kyle MacLachlan, Michael Ontkean, Sherilyn Fenn, Joan Chen, Ray Wise, Sheryl Lee, Lara Flynn Boyle, James Marshall, Dana Ashbrook, Everett McGill, Grace Zabriskie, Russ Tamblyn, Wendy Robie, Richard Beymer.

Quando o episódio piloto de quase duas horas de duração foi lançado em 1990, “Twin Peaks “ se tornou um fenômeno instantâneo e criou um novo estilo de seriado. Aqui no Brasil, os oito episódios da primeira temporada foram mostrados pela Globo nos domingos a noite. Na época não existia internet e as poucas séries que chegavam por aqui passavam na tv aberta em horários como domingo a tarde e muitas vezes sem sequência de episódios. Por todos estes fatores da época, eu assisti apenas o ótimo episódio piloto e até hoje ainda não conferi a série completa. 

O episódio piloto apresentava uma premissa intrigante. Na aparente pacata cidade de Twin Peaks, a adolescente Laura Palmer (Sheryl Lee) era encontrada assassinada. Para investigar o caso, o FBI envia o estranho agente Dale Cooper (Kyle MacLachlan), que terá a ajuda do xerife Harry S. Truman (Michael Ontkean). O crime brutal esconde diversos segredos que serão revelados durante a série, criando a famosa pergunta “Quem Matou Laura Palmer?”. 

O clima de suspense do episódio piloto é marcado pelo nevoeiro que encobre a cidade e os estranhos personagens que cruzam o caminho do agente Cooper, até maluca sequência final na sala vermelha. 

A primeira temporada fez grande sucesso, gerando uma segunda que perdeu audiência a partir da metade quando foi revelado o assassino de Laura Palmer. 

Não sou fã dos trabalhos de David Lynch, suas histórias malucas geralmente não me agradam, mas tenho de admitir que “Twin Peaks” é ótima, pelo menos o episódio piloto que assisti. 

Twin Peaks – Os Últimos Dias de Laura Palmer (Twin Peaks: Fire Walk With Me, EUA, 1992) – Nota 5
Direção – David Lynch
Elenco – Sheryl Lee, Ray Wise, Kyle MacLachlan, Chris Isaak, Kiefer Sutherland, James Marshall, Harry Dean Stanton, David Bowie, Madchen Amick, Dana Ashbrook, Grace Zabriskie, David Lynch, Jurgen Prochnow, Lenny Von Dohlen, Pamela Gidley, Miguel Ferrer, Heather Graham.

Como citei anteriormente, assisti apenas ao piloto da série, mas minha curiosidade fez encarar está versão para o cinema dos últimos dias de Laura Palmer (Sheryl Lee) e me decepcionei. Como geralmente acontece com seus trabalhos, David Lynch exagera na dose de loucuras com tramas cheias de pontas que parecem não chegar a lugar. 

Aqui, a história começa um ano antes da morte de Laura, quando o agente do FBI Chester Demond (o cantor Chris Isaak) investiga a morte de outra jovem, Teresa Banks (Pamela Gidley). Esta investigação é abandonada pelo roteiro, que segue para mostrar a última semana de vida de Laura Palmer, através de seu relacionamento com os dois namorados, as drogas, o sexo por dinheiro, a estranha relação com o pai e a aparente vida normal no colégio, finalizando com seu assassinato. Lógico que tudo isso com o estilo de Lynch, com direito a cenas surreais e uma narrativa entrecortada.

Lynch tem muitos fãs por causa deste estilo fora do normal, porém vejo em vários de seus trabalhos histórias sem sentido que servem apenas para o espectador procurar respostas que não existem. 

5 comentários:

Gustavo H. Razera disse...

Ao contrário de ti, sou grande fã de Lynch. Com Twin Peaks, série e filme, ele criou o mais triste retrato dos traumas do incesto que já vi.

Cumps.

Kleiton Gonçalves disse...

Bem... adoro o filme e adoro a série. Tenho os dois boxs brazucas com todo o seriado. Ainda pensor em rever tudo.
Na verdade, adoro Lynch.
Enfim: sou suspeito para falar.
Abraço,
Kleiton
http://kleitongoncalves.blogspot.com.br

Hugo disse...

Gustavo - Não gosto dos trabalhos considerados complexos do diretor.

Kleiton - Lynch tem muitos fãs, isso e normal. Como citei, gostei do episódio piloto e achei fraco o filme para o cinema.

Abraço

Amanda Aouad disse...

Gosto muito do trabalho de David Lynch, mas concordo com você que o filme deixa a desejar. A série é bem mais complexa e instigante. Aguardo esse novo projeto da continuação após 25 anos.

bjs

Hugo disse...

Amanda - Preciso ver a série completa.

Bjos