sábado, 3 de janeiro de 2015

Super 8

Super 8 (Super 8, EUA, 2011) – Nota 7,5
Direção – J. J. Abrams
Elenco – Joel Courtney, Elle Fanning, Kyle Chandler, Riley Griffiths, Ron Eldard, Ryan Lee, Zach Mills, Gabriel Basso, Noah Emmerich, Richard T. Jones, Glynn Thurman.

Numa pequena cidade de Ohio em 1979, um grupo de pré-adolescentes utiliza uma câmera super 8 para fazer um filme amador sobre zumbis. Numa certa noite, os garotos seguem até a estação de trem para filmar uma sequência e acabam se tornando testemunhas de um terrível acidente causado por um professor, que sobrevive e termina capturado pelo exército. 

O trem militar que foi destruído, carregava uma enorme quantidade de pequenos cubos e um terrível segredo. Para esconder a verdade, o exército tenta controlar a situação afastando os moradores e a polícia local, porém fatos estranhos começam a ocorrer, transformando a cidade em um caos. 

O roteiro do diretor J. J. Abrams explora com inteligência a trama que segue o estilo dos filmes de ficção B, incluindo o “filme dentro do filme” produzido pelos garotos, além do grupo de meninos lembrar “Os Goonies”, mesmo com a história sendo bem diferente. 

O roteiro explora também a amizade entre Joe (Joel Courtney) e o gordinho metido a cineasta Charles (Riley Griffiths), criando ainda um interesse romântico com Alice (Elle Fanning) e fazendo rir com Cary (Ryan Lee), especialista em pequenos explosivos. 

Extremamente ágil, com uma história legal e muitos efeitos especiais, este misto de aventura e ficção atinge o objetivo de divertir. 

3 comentários:

Amanda Aouad disse...

Acho o início muito bom, mas aos poucos, o filme vai me decepcionando. De qualquer maneira, é um bom entretenimento sim.

bjs

Gustavo H. Razera disse...

Também acho um ótimo divertimento, e o final é emocionante. Abrams tem muito a ver com Spielberg e a vibe do cinema blockbuster dos anos 80.

Hugo disse...

Amanda - A proposta era fazer um filme pipoca ao estilo anos oitenta e o resultado foi alcançado.

Gustavo - É um filme que tenha a cara dos anos oitenta e realmente lembra o estilo de Spielberg.

Abraço