terça-feira, 13 de janeiro de 2015

007 - O Amanhã Nunca Morre

007 – O Amanhã Nunca Morre (Tomorrow Never Dies, EUA / Inglaterra, 1997) – Nota 7,5
Direção – Roger Spottiswoode
Elenco – Pierce Brosnan, Jonathan Pryce, Michelle Yeoh, Teri Hatcher, Judi Dench, Ricky Jay, Joe Don Baker, Desmond Llewelyn, Vincent Schiavelli, Gotz Otto, Samantha Bond, Colin Salmon.

Numa espécie de feira de armas na fronteira russa, James Bond (Pierce Brosnan) identifica o terrorista Henry Gupta (Ricky Jay), que compra um sofisticado decodificador de GPS. Antes que possa deter Gupta, Bond precisa tirar do local duas ogivas nucleares que roubadas pelos russos, que serão detonadas por engano quando um míssil inglês atingir o local. Bond consegue impedir a tragédia, porém Gupta foge. 

O decodificador é objeto de desejo do magnata das comunicações Elliott Carver (Jonathan Pryce), que tem a intenção de utilizá-lo para modificar por satélite a rota de navios ingleses e chineses, para criar um conflito entre os dois países. 

O segundo filme de Pierce Brosnan como 007 mantém a qualidade de “GoldenEye”, novamente com cenas de ação explosivas, um vilão competente interpretado por Jonathan Pryce e com a participação ativa de Michelle Yeoh como uma agente chinesa. Como ela participa da porrada sem medo, não sei se pode ser chamada de “Bond Girl”, na realidade ela é praticamente uma co-protagonista do filme. 

A “Bond Girl” aqui acaba sendo Teri Hatcher, que interpreta a esposa de Carver, além de ser ex-namorada de Bond. Na época, Hatcher era famosa pela série “Lois & Clark”. 

Finalizando, os quatro filmes com Brosnan são um pouco parecidos na qualidade. Ele é competente no papel, todos tem tramas razoáveis e ótimas cenas de ação, mas parecem faltar um pouco do charme que tinham os filmes com Sean Connery e Roger Moore.

4 comentários:

Pedrita disse...

esse não é o dos meus preferidos, mas é bem divertido. beijos, pedrita

Marcelo Keiser disse...

Nunca me desagradei com Brosnan como James Bond. Mas seus filmes interpretando o personagem são de qualidade oscilante (o último mesmo eu detestei). Esta produção para mim é uma das melhores da franquia 007 protagonizada pelo ator.

abraço

Gustavo H. Razera disse...

Legalzinho, lembro de vê-lo no cinema ainda moleque. Yeoh arrebenta e as cenas de ação também. Não é o que podemos chamar de clássico, mas dá pro gasto.

Hugo disse...

Pedrita - Eu gosto de todos dos filmes de Bond.

Marcelo - Também considero Brosnan um bom James Bond, apenas que fica dificilmente comparar com Moore e Connery, que para minha geração eram a cara de 007.

Gustavo - A participação de Michelle Yeoah foi uma grande sacada.

Abraço