sábado, 8 de novembro de 2014

Planeta dos Macacos: O Confronto

Planeta dos Macacos: O Confronto (Dawn of the Planet of the Apes, EUA, 2014) – Nota 8
Direção – Matt Reeves
Elenco – Andy Serkis, Jason Clarke, Gary Oldman, Keri Russell, Toby Kebbell, Kodi Smit McPhee, Kirk Acevedo, Judy Greer, Jon Eyez, Enrique Murciano.

Dez anos após os macacos liderados por Cesar (Andy Serkis) se rebelarem e fugirem para a floresta nos arredores de San Francisco, a sociedade humana entrou em colapso. A gripe que surgiu em consequência das experiências em laboratório com os macacos dizimou grande parte da população, com os sobreviventes vivendo em condições precárias. Quando o combustível está prestes a acabar, os sobreviventes precisam chegar até uma represa para ligar uma pequena hidrelétrica para gerar energia, porém a construção fica exatamente onde os macacos criaram sua sociedade. Uma série de desentendimentos e alguns atos de violência levarão os dois grupos a um brutal confronto. 

O original “Planeta dos Macacos” é um dos maiores clássicos da história do cinema, que gerou quatro sequências e uma série de tv. Em 2001, a nova versão assinada por Tim Burton modificou grande parte da história e com seu final polêmico dividiu crítica e pública, fato que abortou uma possível franquia. 

Em 2011, o prequel “Planeta dos Macacos – A Origem” surpreendeu com um ótimo roteiro, narrativa ágil e uma ótima caracterização dos macacos, principalmente de Andy Serkis como Cesar. O merecido sucesso abriu as a portas para esta continuação que resulta em um filme da mesma qualidade, dando seguimento a história novamente com um belo roteiro. 

É basicamente um filme de guerra, com vários elementos que caracterizam este tipo de conflito, sendo muito parecido com as guerras entre nações que conhecemos. Dos dois lados temos líderes divididos entre a paz e a guerra, atos de lealdade e traição, preconceito e defesa da família, tudo em nome da sobrevivência e para alguns também a busca pelo poder. 

O grande destaque do elenco é o trabalho de Andy Serkis como Cesar. Ele consegue dar vida ao líder dos macacos demonstrando todo o tipo de sentimento por trás da maquiagem pesada. 

O gancho final e a qualidade do filme criam a obrigação de uma nova sequência. O espectador espera e agradece.  

4 comentários:

Kahlil Appel disse...

Na minha opinião, um dos melhores filmes do ano.

http://filme-do-dia.blogspot.com.br/

Gustavo H. Razera disse...

Tomara que a sequência mantenha o padrão. A melhor coisa que fizeram foi fazer o reboot em vez de continuar o filme de Burton.

Amanda Aouad disse...

Não apenas Andy Serkis, mas todos os atores por trás dos macacos estão muito bem. Gosto muito de Toby Kebbell como Koba, Nick Thurston como Olhos Azuis e Karin Konoval como Maurice. A Academia tem que começar a reconhecer a atuação por trás do CGI.

bjs

Hugo disse...

Kahlil - Com certeza está entre os melhores do ano.

Gustavo - Sem dúvida, uma sequência para o filme de Burton seria complicada.

Amanda - Concordo, estas atuações ajudaram muito na qualidade do filme.

Abraço