quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Closer - Perto Demais

Closer – Perto Demais (Closer, EUA / Inglaterra, 2004) – Nota 7,5
Direção – Mike Nichols
Elenco – Julia Roberts, Jude Law, Natalie Portman, Clive Owen.

Ontem o cinema perdeu o diretor Mike Nichols, responsável pelo clássico "A Primeira Noite de um Homem" e por bons filmes como "Ardil 22", "Silkwood - O Retrato de uma Coragem" e "Jogos do Poder".

Nesta postagem comento seu maior sucesso de crítica dos últimos trinta anos, o drama "Closer - Perto Demais".

Em Londres, Dan (Jude Law) é um jornalista fracassado que escreve obituários. Por acaso, ele cruza o caminho da stripper Alice (Natalie Portman), com quem se envolve. Depois de algum tempo, Dan conhece a fotógrafa Ana (Julia Roberts), com quem também passa se relacionar. Depois de mais algum tempo, Ana é quem se envolve com outra pessoa, o médico Larry (Clive Owen). Mesmo assim, Ana continua se encontrando com Dan. Quando Larry descobre a traição, acaba conhecendo também Alice, criando uma ciranda amorosa e sexual entre os quatro personagens. 

O longa é baseado em uma peça de Patrick Marber, que também escreveu o roteiro e que foca nas relações amorosas entre pessoas comuns. Não existe julgamento, o que vemos são situações reais de relacionamentos complicados entre casais. Discussões, traições e mentiras são escancarados em diálogos diretos e cortantes. 

É um filme que se sustenta pela direção firme de Nichols, pelo roteiro e as interpretações que valeram indicações a prêmios importantes, principalmente para Natalie Portman e Clive Owen.

Quem não se importar com o excesso de diálogos e abraçar a premissa, aproveitará um interessante espetáculo sobre as fraquezas de caráter do ser humano.   

7 comentários:

Ana Leonilia disse...

Acho que foi o primeiro longa que vi com Natalie Portman. É bem complexo, mas acho que o que mais marcou foram os diálogos.
Tem uns que ficam na cabeça mesmo depois de um tempo.

Bjs ;)

Pedrita disse...

esse filme é lindo demais. vivo revendo trechos. beijos, pedrita

Red Dust disse...

Um dos meus filmes preferidos do início do século. Marcante e poderoso!!!

Um abraço!!!

Gustavo H. Razera disse...

Apesar de ser uma boa obra do diretor, à primeira vista quem monopoliza as atenções é o elenco.

Cumps.

Hugo disse...

Ana - Os diálogos são fortes e diretos.

Pedrita - É um ótimo drama sobre relacionamentos no mundo atual.

Red - Marcante e poderoso, concordo.

Gustavo - As ótimas atuações são o casamento perfeito com os ótimos diálogos do roteiro.

Abraço

Amanda Aouad disse...

O que acho mais interessante nesse filme é que não tomamos partido de nenhum dos quatro personagens, todos acabam nos interessando de uma maneira ou outra.

bjs

Hugo disse...

Amanda - Um dos objetivos do roteiro foi não julgar os personagens.

Bjos