quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Interlúdio

Interlúdio (Notorius, EUA, 1946) – Nota 7,5
Direção – Alfred Hitchcock
Elenco – Cary Grant, Ingrid Bergman, Claude Rains, Louis Calhern, Leopoldine Konstantin, Reinhold Schunzel.

Quando seu pai é condenado a vinte de anos de prisão por ter sido espião para a Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, a bela Alicia Huberman (Ingrid Bergman) se torna alvo do serviço secreto americano, que envia o agente Devlin (Cary Grant) para fazer uma proposta. 

Devlin convence Alicia a trabalhar para o governo, tendo como primeira missão viajar para o Rio de Janeiro e se aproximar de um velho conhecido de seu pai, o milionário Alex Sebastian (Claude Rains), sujeito que participa de um grupo que trama algo contra os americanos. 

Não demora para Devlin e Alicia se apaixonarem, porém quando seu chefe (Louis Calhern) informa que o objetivo da missão é infiltrar Alicia na casa de Sebastian, as coisas se complicam, pois o sujeito também é apaixonado por ela. 

Em razão da magnífica carreira de Hitchcock, o patamar de comparação entre seus filmes é sempre o maior possível, por isso não colocaria este longa entres seus melhores trabalhos, mesmo sendo interessante. 

O longa tem vários pontos positivos, como a química entre Cary Grant e a belíssima Ingrid Bergman, reforçada pelos diálogos fortes para época, repletos de conotações sexuais, a bela fotografia do Rio de Janeiro, mesmo com as cenas com Grant e Bergman tendo sido filmadas em estúdio, além da criatividade de Hitch em filmar por ângulos inusitados. A sequência com as chaves, o beijo do lado de fora da adega e a tontura que a personagem de Bergman sofre são alguns exemplos do talento do diretor. 

O filme falha na questão do suspense, falta emoção nos momentos importantes, até mesmo na sequência final. 

A trama é muito mais uma história de amor do que um suspense. 

2 comentários:

Pedrita disse...

esse filme tem passado na tv a cabo. eu tenho pensado em tentar ver pq eu não sei se vi. há anos vi vários do hitchcock. esse eu não lembro. acho que não. mas vai saber. beijos, pedrita

Hugo disse...

Pedrita - São tantos filmes de Hitchcock que as vezes ficamos em dúvida se assistimos ou não.

Bjos