domingo, 24 de agosto de 2014

Bienal do Livro de SP - Bagunça Total

Visito a Bienal do Livro de SP desde 2000, são pelo menos oito edições e jamais havia presenciado a bagunça que ocorreu neste final de semana no Anhembi. Até mesmo na edição realizada alguns anos atrás no Centro de Exposições Imigrantes, que fica num local de difícil acesso e bem longe do centro houve esta confusão.

Estou acostumado com aglomerações, sou frequentador assíduo de estádios de futebol desde os anos oitenta e conheço bem como funcionam eventos com grande público, porém não imaginava ver algo semelhante em uma feira de livros.

Todos os anos de Bienal eu e minha esposa vamos logo no primeiro sábado, chegamos mais ou menos uma hora antes de abrirem as portas para o público e nunca tivemos grandes problemas em entrar. É sempre a mesma rotina, enquanto eu compro meu ingresso e entro na fila para entrada, minha esposa que é professora, retira sua credencial. Considerando um grande números de pessoas, este procedimento demora em torno de trinta minutos. Ontem a situação foi bem diferente.

Ao chegar por volta das nove horas, ficamos presos na entrada do estacionamento em meio a dezenas de automóveis. Depois de trinta minutos chegamos até a cancela e pagamos extorsivos R$ 40,00 para estacionar. Não demorou para percebermos um número enorme de pessoas, pelo menos metade de garotas adolescentes. Este fluxo de pessoas criou uma "massa" que se aglomerava em frente a entrada tentando entrar na base do empurrão, enquanto outra parte ficava na fila que dava voltar no páteo. Resumindo, entre comprar ingressos e entrar demorei duas horas, não desisti porque enquanto estava na primeira fila minha esposa conseguiu entrar. Conversamos por telefone e disse para ele visitar os stands enquanto eu ficaria na fila de entrada.

Quando entrei encontrei um verdadeiro caos. Os stands totalmente lotados, filas enormes para os caixas e em alguns locais era impossível andar pelo corredor porque alguma "estrela" da literatura estava dando autógrafos e uma multidão tentava chegar perto a todo custo.

Para comer era necessário enfrentar filas enormes, sendo que os espaços foram utilizados por franquias conhecidas que cobravam um valor bem acima do normal, sem contar que as mesas eram poucas e a maioria das pessoas sentavam no chão. Decidimos comprar salgados, que por sinal tinha um preço "salgado" e uma qualidade duvidosa.

Promover a cultura e despertar o gosto pelos livros nas crianças e nos jovens é fundamental, bem diferente de transformar um evento deste tipo numa balada, onde pelo menos metade das pessoas que estavam ali queriam chegar perto de algum "ídolo" fabricado.

Os organizadores citarem que não estavam esperando tanta gente é chamar os visitantes de idiota, com certeza eles alcançaram o objetivo de alavancar o lucro do evento, sem investir numa mínima estrutura de organização.

Infelizmente o custo desta ganância estragou o passeio de um grande número de pessoas, muitas delas que dificilmente terão vontade de voltar a Bienal daqui a dois anos.

Finalizando, depois de menos de duas horas deixamos o evento sem comprar livro algum.

6 comentários:

! Marcelo Cândido ! disse...

Olha, cara, já fui à bienal duas vezes, a primeira em 2010, num domingo, depois das oito da noite, incrivelmente estava vazio, o legal é que eu entrei credenciado, pois participei de uma antologia poética, foi bacana, porque haviam ônibus que partiam de lá até a estação Tietê do metrô.
Mas ano retrasado não foi legal, fomos num sábado extremamente lotado lá pelas tantas das duas da tarde, houve um apagão de alguns minutos e sem contar o preço alto dos livros à venda

Esse ano pretendo ir ao Salão do Livro que tem aqui em Gaurulhos, é uma 'mini bienal', mas consegue ser atrativo, pois há palestras e shows!

Pedrita disse...

é a segunda pessoa que faz esse tipo de queixa em blog. e eu li uma matéria dizendo que esse ano seria sem filas, mais tranquilo, pq há uma procura menor pelo evento. quem escreveu isso pelo jeito se enganou. nossa, uma fortuna o estacionamento. não entendo pq fazem no anhembi que tem infra estrutura antiquada. qd era perto do lar center. o espaço era bem melhor distribuído, perto de metrô, banheiros grandes nos 3 blocos. acho o fim qd é no anhembi que não tem transporte público, precisam fretar ônibus para trazer as pessoas do metrô. enfim... esse ano eles fizeram autógrafos de autores estrangeiros badalados das meninas, então virou loucura de popstar. estou até com receio de ir no dia 30. vou de metrô e pegar o fretado. vou levar um século fazendo isso, mas enfim... e vou comprar o ingresso pela internet, falaram que é mais tranquilo. beijos, pedrita

Ana Leonilia disse...

Oi, Hugo! :) Eu sou de Fortaleza, então não tive oportunidade de conhecer ainda a Bienal do Livro de SP; mas li outra reclamação sobre a falta de organização para o evento. Uma pena, porque realmente desanima retornar no futuro. Eu só curto bienais para acompanhar o evento mesmo, olhar os stands e assistir alguma palestra interessante. Dificilmente compro livros, porque de promoção não tem quase nada. É por isso, que, de uns tempos para cá, eu nem tenho ido mais. Virou mais evento de apelo comercial do que qualquer outra coisa.

Bjs ;)

Hugo disse...

Marcelo - Vou pesquisar sobre este salão do livro em Guarulhos.

Nos outros anos, não havia a loucura para comprar ingressos ou para entrar e o fluxo de pessoas dentro da Bienal aumentava mesmo no período da tarde. Desta vez a coisa foi feia desde cedo.

Pedrita - Comprar pela internet fará você escapar de uma fila, mas espero que não tenha a mesma confusão na entrada.

Se puder, fuja do estacionamento.

Ana - Você tem toda a razão, os preços são os mesmos da lojas na maioria dos stands, a diferença está nas distribuidoras que oferecem um grande quantidade de livros infantis a preço de atacado. Como eu preciso de livros infantis para meu trabalho, utilizo a bienal para comprar e descobrir oportunidades, além do passeio em si. Desta vez foi impossível fazer isso.

Abraço

Silvia Freitas disse...

Ano passado tentei ir e desisti por causa da bagunça generalizada até para entrar.
Nesse ano, pelo jeito, nem vou tentar, pq continua a mesma bagunça.
Triste isso.

Hugo disse...

Silvia - Este ano a bagunça está ainda maior. Não acredito que melhore meste final de semana.

Abraço