terça-feira, 10 de dezembro de 2013

As Melhores Coisas do Mundo

As Melhores Coisas do Mundo (Brasil, 2010) – Nota 7,5
Direção – Laís Bodanzky
Elenco – Francisco Miguez, Denise Fraga, Fiuk, Zé Carlos Machado, Gabriela Rocha, Caio Blat, Paulo Vilhena, Gabriel Illanes, Sophia Gryschek, Gustavo Machado, Maria Eugenia Cortez.

Mano (Francisco Miguez) é um adolescente de classe média que frequenta um colégio particular e enfrenta os problemas da idade. Sua vida fica mais confusa quando seu pai (Zé Carlos Machado) abandona a mãe (Denise Fraga) para assumir uma relação homossexual. Seu irmão mais velho Pedro (Fiuk) se revolta com o pai, ao mesmo tempo em que enfrenta uma crise no namoro. 

O grande acerto desta adaptação de um livro do jornalista Gilberto Dimenstein é mostrar o universo dos adolescentes de classe média bem próximo da realidade. O roteiro de Luiz Bolognesi (marido da diretora Laís Bodanzky) é inteligente ao retratar os personagens como pessoas com problemas verdadeiros, incluindo ainda temas atuais como sexo, preconceito, família e a influência das redes sociais na vida do jovem. 

O protagonista sofre pressão para perder a virgindade, precisa lidar com amigos falsos e principalmente com a verdadeira selva que é um colégio repleto de adolescentes. O colégio é um microcosmo da sociedade, uma prévia das dificuldades que o jovem terá de enfrentar na vida adulta. 

Mesmo com alguns deslizes, como a exagerada crise enfrentada pelo personagem de Fiuk, o filme comprova que é possível fazer um longa sobre o mundo adolescente de forma inteligente, longe dos esteriótipos que a tv costuma mostrar.

9 comentários:

Silvia Freitas disse...

Concordo muito com sua crítica.Gostei do filme, achei-o muito a cara da adolescência, apesar do excesso de Fiuk, mas tá valendo, quem já não viu um adolescente dramático demais, não é mesmo?
Abração!

! Marcelo Cândido ! disse...

Filme bem interessante, mas o final bem piegas!

Gilberto Carlos disse...

Gosto dos filmes brasileiros sobre adolescentes feitos atualmente. Tanto esse, quanto Desenrola, são bastante interessantes e até costumam ganhar continuações.

Hugo disse...

Silvia - Muitos adolescentes são dramáticos, a questão é que o personagem de Fiuk representou um extremo, mas isso não tira a força do filme.

Marcelo - É um retrato da adolescência bem próximo da realidade.

Gilberto - Não assisti "Desenrola", mas pelo trailer fiquei com a impressão de ser mais popular, algo no estilo Malhação.

Abraço

Gustavo Marques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gustavo Marques disse...

Concordo muito com sua crítica, Parabéns pelo se site

Hugo disse...

Gustavo - Obrigado pelo elogio.

Abraço

Amanda Aouad disse...

É um filme que traz verdade mesmo, gosto de muita coisa nele, e não acho tão exagerado o personagem de Fiuk, rs. Ele é o deslocado naquele tempo, acredita no amor eterno, faz parte também da adolescência.

bjs

Hugo disse...

Amanda - O legal é mostrar ser possível fazer uma filme de qualidade sobre o universo adolescente.

Bjos