quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Curvas da Vida

Curvas da Vida (Trouble with the Curve, EUA, 2012) – Nota 7
Direção – Robert Lorenz
Elenco – Clint Eastwood, Amy Adams, Justin Timberlake, John Goodman, Matthew Lillard, Robert Patrick, Bob Gunton, George Wyner, Jack Gilpin, Ed Lauter, Chelcie Ross, Ray Anthony Thomas.

Gus Lobel (Clint Eastwood) é um veterano recrutador de jogadores de beisebol que descobre estar sofrendo de um sério problema na visão. Não querendo se aposentar, Gus esconde o fato do clube para qual trabalha, porém seu amigo Pete (John Goodman) não se deixa enganar e pede ajuda para a filha de Gus, a advogada Mickey (Amy Adams). Mickey, que trabalha num caso importante, decide mesmo assim ajudar o pai no trabalho que pode ser o último da carreira dele. A situação faz com que os dois que brigam por qualquer motivo, tenham um tempo maior para tentar se entender e resolver pendências do passado. 

Em todos os trabalhos de Clint Eastwood como ator desde “Poder Absoluto” em 1997, ele parece interpretar o mesmo personagem, o veterano durão que tem dificuldades para se relacionar com a família e os amigos, além de carregar traumas. 

Neste novo longa o personagem é o mesmo, a única diferença está na direção que ele entregou para Robert Lorenz, que foi seu diretor de segunda unidade em vários de seus filme e aqui mostra que a influência de Clint é enorme no seu trabalho. 

Se a direção é correta, o ponto negativo está no roteiro certinho demais. Com pouco mais de meia hora fica fácil entender o que irá acontecer, o que se comprova no final, que por sinal parece apressado, com várias situações sendo resolvidas rapidamente. 

Não é um filme ruim, tem um bom elenco e o carisma de Clint, mas falta ousadia e fica a dever quanto a originalidade.

3 comentários:

André Betioli - Déh disse...

Mesmo sendo mais do mesmo, o Clint sempre acaba se destacando. Irei conferir esse filme!

Amanda Aouad disse...

É, o filme é interessante, mas acaba sendo didático e falta mesmo a originalidade que você cita.

bjs

Hugo disse...

André - Todo filme com ou dirigido por Clint vale a sessão.

Amanda- Fica a impressão de que poderia ser melhor.

Abraço