domingo, 4 de agosto de 2013

Rocky IV

Rocky IV (Rocky IV, EUA, 1985) – Nota 6,5
Direção – Sylvester Stallone
Elenco – Sylvester Stallone, Talia Shire, Burt Young, Carl Weathers, Dolph Lundgreen, Brigitte Nielsen, Tony Burton, Michael Pataki, James Brown.

Rocky (Sylvester Stallone) parou de lutar e vive tranquilo com sua esposa Adrian (Talia Shire). Quando o ex-rival e hoje amigo Apollo Creed (Carl Weathers) decide voltar aos ringues para enfrentar o campeão russo Ivan Drago (Dolph Lundgreen), Rocky fica apreensivo, mas acaba apoiando o amigo. A diferença de físico e idade faz com que Drago aplique uma violenta surra em Apollo, que morre durante a luta. A tragédia faz Rocky decidir voltar a lutar contra o gigante Drago para vingar a morte do amigo. 

Lançado no mesmo ano de “Rambo II – A Missão”, estes dois filmes se tornaram uma espécie de proaganda política do Partido Republicano que estava no poder com o ex-ator Ronald Reagan como presidente. Reagan que era conservador e entusiasta de maluquices como o “Projeto Guerra nas Estrelas”, gostou dos filmes que mostravam Rambo voltando ao Vietnã para trucidar inimigos e Rocky defendendo a bandeira americana contra os malvados soviéticos. Os filmes foram detonados pela crítica, mas fizeram sucesso com o público da época acostumado com longas de ação absurdos. 

Este “Rocky IV” é até competente nas cenas de luta embaladas pela trilha sonora marcante, inclusive com a participação apoteótica de James Brown cantando”Living in America” antes da luta de Apollo com Drago, além das clássicas cenas de treinamento do personagem, aqui trocando a Filadélfia por uma gelada União Soviética, mas não se pode levar o roteiro a sério. 

Inferior aos três primeiros filmes, “Rocky IV” é apenas uma diversão absurda, que ainda é melhor que sua continuação, o fraco “Rocky V”.

6 comentários:

! Marcelo Cândido ! disse...

É um Rocky risível
Rs
!!!

Hugo disse...

Marcelo - A trama é absurda.

Abraço

André Betioli - Déh disse...

A trama é maluca, mas eu me divertia quando assistia, principalmente na parte da música "No Easy way out". rs

Jefferson C. Vendrame disse...

Acho que ROCKY, assim como diversos outros títulos, deveriam ter ficado somente na parte I. Sequências, ao meu ver, são sempre desnecessárias e com puro e explicito interesse comercial.

Parabéns pelo texto, bem informativo!

Abração!

Hugo disse...

Jefferson - Você tem razão, a maioria das sequências são filmadas apenas pelo lucro, o que faz com que poucas tenham a mesma qualidade do original.

Abraço

Hugo disse...

Jefferson - Você tem razão, a maioria das sequências são filmadas apenas pelo lucro, o que faz com que poucas tenham a mesma qualidade do original.

Abraço