sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Massacre no Bairro Japonês & Rajada de Fogo


A curta carreira de Brandon Lee se resumiu basicamente a quatro filmes. O primeiro é um policial B chamado "Missão Resgate" e por último, o ótimo e ao mesmo tempo trágico "O Corvo", longa que com certeza levaria a carreira de Lee a um novo patamar.

Entre destes filmes, Lee protagonizou dois outros trabalhos que podem ser considerados diversão passageira com muita ação e violência.

São estes dois filmes que comento nesta postagem.

Massacre no Bairro Japonês (Showdown in Litte Tokyo, EUA, 1991) – Nota 7
Direção – Mark L. Lester
Elenco – Dolph Lundgreen, Brandon Lee, Tia Carrere, Cary Hiroyuky Tagawa.

A dupla de policiais Chris Kenner (Dolph Lundgreen) e Johnny Murata (Brandon Lee) tem personalidades bem diferentes. Chris é um sujeito sério que foi criado no Japão e gosta de seguir preceitos orientais, enquanto o oriental Johnny é o jovem impetuoso. Por sua ligação com o Japão, Chris investiga um chefe da Yakuza (Cary Hiroyuki Tagawa) que comanda o tráfico de drogas no bairro de Little Tokyo em Los Angeles. Quando uma jovem (Tia Carrere) que vai testemunhar contra o mafioso é ameaçada, a dupla de policiais fica encarregada da proteção. 

Este eficiente e exagerado filme de ação pode ser considerado um Guilty Pleasure. A narrativa ágil (menos de uma hora e vinte minutos de duração), a mistura de tiroteios com lutas e a boa química entre o grandalhão Lundgreen e o novato Brandon Lee, transformaram um roteiro comum num filme divertido e agitado. 

O longa segue o estilo do diretor Mark L. Lester, responsável pelo clássico cult “Comando Para Matar” e o violento policial “Justiça Extrema”.  

Rajada de Fogo (Rapid Fire, EUA, 1992) – Nota 6
Direção - Dwight H. Little
Elenco – Brandon Lee, Powers Boothe, Nick Mancuso, Kate Hodge, Raymond J. Barry, Tzi Ma, Tony Longo, Michael Paul Chan, Dustin Nguyen.

O estudante Jake Lo (Brandon Lee) testemunha um assassinato cometido pelo mafioso Antonio Serrano (Nick Mancuso) e por este motivo é obrigado a entrar para o programa de proteção a testemunhas. Como ocorre em todo filme sobre o tema, o mafioso consegue informações de dentro da polícia sobre o esconderijo de Jake e este precisa fugir, tendo como apoio apenas o policial Mace Ryan (Powers Boothe). 

Brandon Lee teve aqui seu primeiro papel como protagonista individual em uma produção mais caprichada, recheada de coadjuvantes conhecidos e com cenas de ação bem coreografadas, dando espaço para ele mostrar seu talento nas lutas. A trama é repleta de clichês, mas a ágil narrativa e até o carisma de Lee ajudam o espectador fã do gênero a se divertir. 

Como opinião pessoal, Lee tinha potencial para uma boa carreira, mas infelizmente sua vida foi abreviada na tragédia das filmagens de “O Corvo”.

4 comentários:

! Marcelo Cândido ! disse...

O primeiro filme é uma bomba!

thicarvalho disse...

Gostava mto do Brandon Lee. Massacre no Bairro Japonês é quase um filme b, mas é legal. Outro dia revi no Corujão. O Corvo é um baita filme, prova do talento de Lee. Grande abs.

Visitem

www.cinemaniac2008.blogspot.com

André Betioli - Déh disse...

Cara, gosto muito destes dois filmes, meu tio tinha em VHS e assistimos muitas vezes.

Mas o Corvo..... minha nossa, aquele filme é demais.
Vamos ver o que vão fazer com esse remake.

Abraço.

Hugo disse...

Marcelo - Tem muitas falhas, mas não deixa de ser divertido.

Thiago - Com certeza, "O Corvo" é um ótimo filme.

André - Não espero muito coisa dos remakes atuais, infelizmente.

Abraço