quinta-feira, 18 de julho de 2013

Códigos de Defesa & O Contrato


Códigos de Defesa (The Numbers Station, EUA / Inglaterra / Bélgica, 2013) – Nota 6,5
Direção – Kasper Barfoed
Elenco – John Cusack, Malin Akerman, Liam Cunningham, Richard Brake, Bryan Dick, Lucy Griffiths.

Emerson Kent (John Cusack) é um assassino profissional que trabalha para a CIA. Quando durante uma missão ele reluta em assassinar uma adolescente, seu chefe (Liam Cunningham) decide como castigo enviá-lo para Inglaterra, onde terá de fazer a segurança de uma estação, local onde são transmitidas ordens criptografadas para os agentes de campo. 

No local, Emerson passa a trabalhar com a jovem Katherine (Malin Akerman) responsável por enviar as mensagens. A dupla reveza o trabalho com outro casal, até um determinado dia em que a estação é atacada por um grupo desconhecido que deseja utilizar a estrutura para enviar mensagens ordenando o assassinato pessoas influentes da própria CIA. 

Como uma trama simples e um clima que lembra um filme de terror B ao explorar com competência os corredores da estação como cenário principal, este longa do dinamarquês Kasper Barfoed é um interessante suspense policial que prende a atenção dos fãs do gênero. 

John Cusack que já fez papel de assassino no divertido “Matador em Conflito”, aqui interpreta um sujeito cansado de cometer assassinatos que tem uma espécie de crise de consciência e decide mudar o rumo de sua vida, mesmo que antes tenha de usar de violência para sobreviver. 

É o típico filme rápido, agitado e de fácil esquecimento.

O Contrato (The Contract, EUA, 2006) – Nota 6
Direção – Bruce Beresford
Elenco – Morgan Freeman, John Cusack, Jamie Anderson, Alice Krige, Megan Dodds, Corey Johnson, Jonathan Hyde, Bill Smitrovich, Anthony Warren, Ned Bellamy.

O mercenário Carden (Morgan Freeman) reúne seu grupo para uma missão. As coisas dão erradas, Carden sofre um acidente, acaba preso, mas consegue fugir. Durante a fuga, ele cruza o caminho de Ray (John Cusack) que está acampando com seu filho Chris (Jamie Anderson) nas montanhas. O honesto Ray resolve prender o sujeito e levá-lo para as autoridades, mesmo sendo perseguido pelos parceiros de Carden. 

A melhor parte do filme é a ambientação nas montanhas, lugar propício para boas cenas de perseguição e ação, porém os furos da história e a direção fraca de Beresford, especialista em dramas como “Conduzindo Miss Daisy”, resulta num longa menos que razoável, ou seja, muito pouco para um trabalho protagonizado por bons atores como Freeman e Cusack.

3 comentários:

Marcelo keiser disse...

Andei vendo o trailer desse "Códigos de Defesa" e achei interessante. Não imaginava uma premissa igual aquela resultaria em um filme tão regular (nota 6,5).

abraço

Amanda Aouad disse...

É, a premissa é interessante mesmo. Pena que o filme não seja tudo isso.

bjs

Hugo disse...

Marcelo - É apenas razoável, ficou com cara filme B.

Amanda - Diverte, mas é totalmente esquecível.

Abraço