segunda-feira, 18 de março de 2013

Tempo de Glória

Tempo de Glória (Glory, EUA, 1989) – Nota 8
Direção – Edward Zwick
Elenco – Matthew Broderick, Denzel Washington, Cary Elwes, Morgan Freeman, Jihmi Kennedy, Andre Braugher, John Finn, Donovan Leitch, JD Cullum, Alan North, Bob Gunton, Cliff De Young, Jay O. Sanders, Richard Riehle, Jane Alexander.

Durante a Guerra da Secessão, após a assinatura da lei que acabava com a escravidão, o presidente Lincoln decide criar um batalhão com soldados negros, fato inédito que tinha o objetivo político de irritar os confederados sulistas que não aceitavam a nova lei. Para comandar o batalhão é escolhido o jovem Robert Gould Shaw (Matthew Broderick) que é promovido a coronel com apenas vinte e três anos de idade. 

A escolha de Shaw foi por influência de seu pai que era um homem poderoso e também porque o exército não tinha intenção de enviar os soldados para as batalhas, mas apenas deixá-los para fazer serviços pesados como cavar trincheiras. Entre os negros que se alistaram estão o veterano Rawlins (Morgan Freeman), o rebelde Trip (Denzel Washington) e o intelectual Thomas Searles (Andre Braugher), que foi criado como amigo do agora coronel Shaw. 

O filme é baseado numa história real, tendo utilizado como base dois livros e as cartas verdadeiras enviadas por Shaw para sua mãe. Shaw era um jovem inexperiente que amadureceu com a convivência com soldados negros e com seu fiel amigo, o Major Forbes (Cary Elwes). 

O diretor Edward Zwick, aqui em seu segundo trabalho, já mostrava o gosto por cenas grandiosas pontuadas por músicas marcantes (trilha de James Horner), situação que se repetiria em longas como “Lendas da Paixão” e “O Último Samurai”, porém o roteiro de Kevin Jarre é superior aos dois filmes citados e consegue desenvolver muito bem os personagens, principalmente na primeira hora onde conhecemos um pouco mais de cada um de uma forma simples, mas longe de ser didática. 

Os personagens são valorizados pelo ótimo elenco. Broderick estava no auge da carreira e como opinião pessoal, tem aqui um dos seus melhores papéis ao lado dos trabalhos nos ótimos “Curtindo a Vida Adoidado” e “O Feitiço de Áquila”. Denzel Washington venceu o Oscar de Coadjuvante por seu trabalho aqui, Morgan Freeman já estava com mais de cinquenta anos e ficou famoso exatamente neste ano, com este filme e com o ótimo “Conduzindo Miss Daisy”. 

Não se pode deixar de destacar também Andre Braugher, grande ator que passou os anos noventa atuando na série “Homicide – Life on the Street” e talvez por isso não tenha se tornado astro de cinema. Mesmo assim, Braugher foi coadjuvante em diversos longas como “O Nevoeiro” e “Cidade dos Anjos”, além de papéis em várias outras séries. 

Finalizando, este é um belo filme que mescla com qualidade drama, política histórica e ótimas cenas de batalhas.

3 comentários:

Amanda Aouad disse...

Parece mesmo bem interessante.

bjs

Marcelo keiser disse...

É um ótimo filme. Recomendo!

abraço!

Hugo disse...

Amanda e Marcelo - É um interessante que conta um fato pouco conhecido da história americana.

Abraço