segunda-feira, 4 de março de 2013

As Bicicletas de Belleville

As Bicicletas de Belleville (Les Triplettes de Belleville, França / Bélgica / Canadá / Inglaterra / Letônia, 2003) – Nota 7,5
Direção – Sylvain Chomet
Animação

Esta animação com estilo bem diferente dos similares americanos, concorreu merecidamente ao Oscar de Animação e também de Canção Original ao criar uma trama com personagens a princípio bizarros em situações estranhas, mas com uma forte crítica social nas entrelinhas do roteiro. 

A trama começa numa cidade do interior da França, quando um garoto gordinho ganha de sua avó um cão ainda filhote. Mesmo ficando amigo do animal, o garoto ainda demonstra tristeza, que muda apenas quando sua avó lhe presenteia com uma bicicleta, que se torna sua grande paixão. 

Em seguida a trama pula mais de uma década e mostra o garoto já adulto. Ele emagreceu e se tornou um ciclista profissional que treina para participar da famosa “Volta da França”, sempre acompanhado de perto pela avó. Durante a competição, o jovem não consegue completar a prova e acaba sendo sequestrado por um estranho grupo que o leva para a cidade grande com um objetivo mais estranho ainda, porém a velha senhora e o cão, que hoje está enorme, seguem a pista para tentar salvar o neto. 

Os traços da animação são exagerados de forma proposital, a maioria dos personagens são obesos e apenas os atletas são magros, porém são tristes e sem vida. Estas escolhas foram uma forma de criticar o mundo atual, onde a epidemia da obesidade é a consequência da acomodação e por outro lado, a tristeza dos atletas são reflexo da pressão que todas as pessoas sofrem para conseguir o sucesso, muitas vezes deixando de lado o prazer e a felicidade. O prazer que o garoto tinha em pedalar se perdeu completamente quando o objetivo passou a ser a vitória. A cidade grande de Belleville também é mostrada como um lugar sem vida, cheia de edifícios e construções enormes. 

A mistura da crítica social com humor é extremamente original, resultando numa animação muito mais profunda do que aparenta. 

3 comentários:

Amanda Aouad disse...

Interessante, Hugo, fiquei com vontade de conferir. Até porque adoro animação de todos os tipos.

bjs

Morgan Nascimento disse...

Olá, parabéns pelo blog!
É muito bom esse filme.
Se você puder visite este blog:
http://morgannascimento.blogspot.com.br/
Obrigado pela atenção

Hugo disse...

Amanda - Para você gosta de animação, esta obra é obrigatória.

Morgan - Valeu pela visita. Logo visitarei seu blog.

Abraço