segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A Fúria do Protetor & Police Story


A Fúria do Protetor (The Protector, EUA, 1985) – Nota 6
Direção – James Glickenhaus
Elenco – Jackie Chan, Danny Aiello, Roy Chiao, Al Cerullo, Jesse Cameron Glickenhaus, Patrick James Clark.

O policial Billy Wong (Jackie Chan) tem seu parceiro assassinado durante um assalto. Billy ainda consegue perseguir e matar os assassinos, sem antes deixar muita destruição pelo caminho. Como sua ação desagrada os superiores, Billy é transferido e ganha um novo parceiro, Danny Garoni (Danny Aiello). A primeira missão da dupla é investigar o sequestro da filha de um empresário ligado ao tráfico de drogas, situação em que Bily novamente deixará um rastro de violência e mortes. 

Este típico longa de ação dos anos oitenta é mais interessante pelos bastidores do que propriamente pelo filme. Na época, Jackie Chan já era um astro no oriente e cinco anos antes havia tentado chamar atenção do público ocidental em “O Grande Lutador” de Robert Clouse e como coadjuvante na comédia repleta de astros “Quem Não Corre, Voa”, porém acabou não sendo notado. 

Com isso, “A Fúria do Protetor” seria sua nova chance de sucesso, o problema foi a escolha do diretor. James Glickenhaus se tornou figura cult com um violento longa chamado “O Exterminador”, porém aqui mostrou que não tinha grande talento. Consta que Chan e Glickenhaus brigaram durante toda a filmagem, porque enquanto Chan queria inserir cenas de lutas, sua especialidade, o diretor pensava em um filme policial de ação cheio de tiroteiros e mortes violentas. Glickenhaus ganhou a disputa e o filme foi lançado do seu jeito, resultado, fez algum sucesso nas locadoras, mas adiou a conquista da América que Chan sonhava. Mas como Jackie Chan tinha parte dos direitos, ele não deixou o filme ser lançado na Ásia, antes disso resolveu filmar novas sequências, a maioria de lutas e remontar o longa a sua maneira para agradar ao seu público no oriente. 

Não tive oportunidade de assistir esta versão para o oriente, mas a versão de Glickenhaus é curiosa ao mostrar Jackie Chan como um policial durão, que fala palavrões e distribui tiros, diferente dos personagens engraçadinhos que ele tem por hábito interpretar. 

No final a disputa foi boa para Chan, que ao remontar o filme pegou gosto pela direção e logo em seguida comandou “Police Story”, longa que fez sucesso enorme na Ásia em virtude das sensacionais cenas de ação criadas por ele.

Police Story (Gin Chat Goo Si, Hong Kong, 1985) – Nota 7,5
Direção – Jackie Chan
Elenco – Jackie Chan, Maggie Cheung, Brigitte Linn, Kwok Hung Lam, Bill Tung, Yuen Chor.

A polícia de Hong Kong organiza uma ação para prender um chefão do tráfico (Yuen Chor) e sua quadrilha. A situação sai do controle, mas o policial Chan Ka Kaui (Jackie Chan) consegue prender o sujeito após uma violenta perseguição. A polícia prende também a secretaria do traficante (Brigitte Lin) que é obrigada a depor contra o chefe. Como ela deve se tornar alvo do traficante, o policial Chan é designado para fazer sua segurança, o que desagradará sua namorada (Maggie Cheung), além é claro do inevitável confronto com os assassinos da quadrilha. 

Este longa foi um sucesso enorme na Ásia, inclusive pela interpretação de Chan e gerou quatro continuações. A trama é simples, porém as inacreditáveis cenas de ação criadas pelo próprio astro explicam o sucesso. É incrível a coragem (ou loucura) de Chan em participar de sequências extremamente perigosas, como a descida pelos cabos de iluminação do shopping e a perseguição pela estrada, quando Chan fica pendurado num ônibus em movimento utilizando um guarda-chuva para se segurar. 

A sequência inicial também é sensacional, além da perseguição e do tiroteio em uma favela claramente construída para a cena, temos ainda dois carros que descem um morro derrubando os barracos, para continuarem a perseguição na estrada.

Como é de praxe nos filmes de Jackie Chan, no final vemos os erros de gravação e os acidentes, sendo que nesta sequência da descida dos carros, quatro dublês se feriram.

   

3 comentários:

! Marcelo Cândido ! disse...

E o Nr. Nice guy?
kkk

Fábio da Silva disse...

Os filmes de Jackie Chan são sempre bem humorados e com muita ação. Vale à pena conferir mesmo os mais antigos.

Hugo disse...

Marcelo - Ainda farei uma postagem sobre este filme e outros de Chan.

Fábio - Os mais antigos tem as cenas mais perigosas, principalmente suas produções em Hong Kong. Os trabalhos em Hollywood já mais convencionais, sem tantas loucuras.

Abraço