quarta-feira, 22 de agosto de 2012

O Escritor Fantasma

O Escritor Fantasma (The Ghost Writer, França / Inglaterra / Alemanha, 2010) – Nota 7,5
Direção – Roman Polanski
Elenco – Ewan McGregor, Pierce Brosnan, Olivia Williams, Tom Wilkinson, Kim Cattrall, Timothy Hutton, James Belushi, John Bernthal, Eli Wallach.

Em Londres, um ghost writer (Ewan McGregor) recebe um convite para finalizar a biografia do ex-Primeiro Ministro inglês Adam Lang (Pierce Brosnan), após o primeiro escritor cometer suicídio. Mesmo sem muita vontade, ele aceita o trabalho que pagará um ótimo valor. Ele viaja para os Estados Unidos onde Adam Lang está hospedado em um casarão numa praia deserta. Logo o escritor percebe que se meteu em algo complicado. Lang é acusado de crimes de guerra e precisa se defender, além disso fica clara sua confusa relação com a esposa (Olivia Williams) e com uma assistente intrometida (Kim Cattrall). Para piorar, o escritor desconfia que o suicídio do seu antecessor pode ter sido um crime premeditado. 

Este bom trabalho de Roman Polanski pode ser visto em duas vertentes: A mais simples é que a questão do escritor preso no casarão do figurão inglês, não podendo sair enquanto a imprensa está no cola do sujeito, é um fato que remete a vida real de Polanski que virou de ponta cabeça na época, quando os Estados Unidos solicitam sua extradição e ele ficou em prisão domiciliar na Suiça por um bom tempo. O segundo ponto é a questão política, com o personagem de Pierce Brosnan claramente sendo baseado em Tony Blair e a partir daí o roteiro criando uma trama cheia de mentiras, politicagens e traições. 

O desenrolar da história é interessante e prende atenção, porém a revelação no final do longa que sela o destino do personagem de Ewan McGregor é falha, já que acaba modificando completamente a forma de agir do sujeito, que cria coragem após ter medo durante todo o filme. 

Como curiosidade, vale destacar a pequena participação do veteraníssimo Eli Wallach aos noventa e cinco anos
.

8 comentários:

Maxwell Soares disse...

Olá, Hugo. Rapaz, eu assisti esse filme. Confesso a você que não gostei. Tenho um enorme respeito ao diretor Roman Polanski, mas o roteiro e o desenrolar da história não despertou o valor que creditei no início do longa. A pouco vi "Deus da Carnificina". Ah!! Esse, sim, ele arrebentou. O Escritor Fantasma merece ser visto, porém não revisto. Parabéns pelo texto, Hugo. Um abraço irmão...

Celo Silva disse...

Pô, acho q sou um dos poucos q considera esse um pequeno grande filme. Acho q um dos meus favoritos do diretor. O clima de suspense é angustiante.

Thomás R. Boeira disse...

Gostei muito desse filme. Polanski em boa forma é bom demais de se ver.

Abraço,
Thomás
http://brazilianmovieguy.blogspot.com.br/

Amanda Aouad disse...

A cena final chega a ser ingênua. Após tudo aquilo, a atitude do nosso "fantasma" é absurdamente infantil, quase deixando que o óbvio aconteça.

De qualquer forma, a narrativa nos envolve em um bom suspense psicológico e político, então, eu relevo o escorregão final e seria mais bondosa com a nota, hehe.

bjs

Davison Mascarenhas disse...

muito bom, pierce brosnan é o cara

Blog sobre cinema, deem uma conferida:
Coca-Cola com Pipoca

Hugo disse...

Maxwell - Considero um deslize o final do longa, mas gostei do desenrolar da trama.

Celo - O clima de suspense é muito bom, apesar do final.

Thomás - Polanski é um grande diretor.

Amanda - A mudança do personagem de Ewan McGregor foi um grande erro do roteiro.

Davison - Em seguida visitarei seu blog.

Abraço a todos

O Narrador Subjectivo disse...

Muita curiosidade em ver este filme, parece-me um thriller na linha do Frantic e afins do Polanski, mais urbanos e contidos. É um dos meus realizadores preferidos e ainda não vi este. Abraço

http://onarradorsubjectivo.blogspot.pt/

Hugo disse...

Narrador - É um bom filme que falha apenas na escolha do final.

Abraço