sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Denise Está Chamando & A Vida On-Line


Denise Está Chamando (Denise Calls Up, EUA, 1995) – Nota 6,5
Direção – Hal Salwen
Elenco – Alanna Ubach, Tim Daly, Aida Turturro, Dana Wheeler Nicholson, Sylvia Miles, Liev Schreiber, Mark Blum, Caroleen Feeney.

Produzido na metade dos anos noventa, quando a internet ainda estava se popularizando, este filme independente é quase uma prévia de como as relações humanas se transformariam nestes últimos anos. O roteiro foca na questão da distância entre as pessoas em consequência do avanço tecnológico, aqui demonstrado através do contato pela internet e principalmente pelo telefone. 

A personagem principal é Denise (Alanna Ubach) que está grávida e tem um círculo de amigos com que o contato é feito apenas através de telefone ou internet, inclusive sua gravidez é fruto de uma inseminação artificial. É engraçado verificar que os personagens por mais que tentem o contato físico, falham, como no caso de dois personagens (Liev Schreiber e Caroleen Fenney) que acabam transado por telefone ou ainda a morte de um personagem onde amigo algum comparece ao funeral. 

Em alguns momentos o exagerado de conversas pelo telefone cansa um pouco, mas no geral vale como uma despretensiosa crítica ao modo solitário de viver dos dias atuais. 

A Vida On-Line (On Line, EUA, 2002) – Nota 5,5
Direção – Jed Weintrob
Elenco – Josh Hamilton, Harold Perrineau Jr, Isabel Gillies, John Fleck, Vanessa Ferlito, Eric Millegan, Liz Owens.

John (Josh Hamilton) e Moe (Harold Perrineau Jr) são amigos e criadores do site Intercon X, especializado em pornografia, onde cada cliente satifaz seus desejos no mundo virtual. O roteiro foca basicamente em como o mundo virtual está se tornando um substituto da vida real para muitas pessoas. 

Aqui a situação é exemplificada pelo personagem de John, que é um craque em programação, mas não sabe lidar com as relacionamentos reais. Ele acaba se apaixonando por uma garota de programa virtual. Enquanto isso, Moe é um mulherengo que termina se interessando por Moira (Isabel Gillies), uma jovem diferente do tipo de mulher que ele costuma se envolver. Outros personagens se cruzam no mundo virtual em busca de prazer e até amor. 

A premissa é interessante, porém o ritmo irregular deixa claro que faltou um melhor roteiro e um diretor mais experiente. No final é um longa que cumpre pouco do que promete.

3 comentários:

renatocinema disse...

Sempre tento assistir Denise está chamando...e sempre, sempre empurro para depois.

Celo Silva disse...

Não assisti nenhum dos dois, mas lembro muito bem desse Vida on Line nas locadoras.

http://espectadorvoraz.blogspot.com.br/

Hugo disse...

Renato - É um filme quase cult, mas apenas razoável.

Celo - Este é fraquinho.

Abraço