quarta-feira, 25 de julho de 2012

Shame

Shame (Shame, EUA, 2011) – Nota 7,5
Direção – Steve McQueen
Elenco – Michael Fassbender, Carey Mulligan, James Badge Dale, Nicole Beharie, Alex Manette, Lucy Walters.

Brandon (Michael Fassbender) vive em Nova York onde tem um ótimo emprego e mora num belíssimo apartamento, porém por trás do sujeito bem sucedido, existe um homem viciado em sexo que persegue desconhecidas no metrô, se masturba no banheiro do trabalho, sai com prostitutas e tem seu computador repleto de pornografia. 

Brandon consegue separar suas duas vidas, mas quando sua irmã Sissy (Carey Mulligan) resolve passar uns dias com ele, seu mundo vira de ponta cabeça. A jovem é extremamente carente e para piorar ainda se envolve com o chefe de Brandon, David (James Badge Dale), que é casado mas tem por hábito sair com o amigo para caçar garotas. 

O roteiro do próprio diretor Steve McQueen em parceria com Abi Morgan, não mostra as causas específicas do distúrbio dos irmãos, porém deixa claro o sofrimento em que eles vivem. Sissy mostra talento ao cantar “New York, New York” numa delicada sequência, porém sua insegurança não a deixa alçar voos maiores. 

Já Brandon é incapaz de manter qualquer relacionamento afetivo, como vemos em duas ótimas sequências com a colega de trabalho vivida por Nicole Beharie. A primeira sequência tem ótimos diálogos no restaurante e a segunda é o constrangedor encontro do casal no apartamento de Brandon. 

Não é um filme para todos, pode chocar principalmente na parte final durante a noite da loucura de Brandon, que parece querer testar seus limites ao se entregar ao vício.

8 comentários:

! Marcelo Cândido ! disse...

O filme é forte e com ousadia, mas não é imoral, é reflexivo em tempos em que as pessoas mal se olham na cara, porém para a tela do "pc" é num instante!

Celo Silva disse...

Em minha opinião, um dos melhores filmes dos últimos anos. Não por ser polêmico ou algo parecido, mas por conseguir ser fiel a uma época e um estilo de vida recorrente q ele procura retratar.

Amanda Aouad disse...

Gosto muito do filme, marcante, com uma visão honesta do personagem. Algo que chama a atenção em um cenário cada vez mais polido e sem emoções autênticas.

bjs

Diogo Marcelo de Oliveira disse...

nossa eu nunca tinha assistido esse filme mas pelo jeito ele e muito bom vou assistir mais rápido possível.
http://diogo-seriesefilmes.blogspot.com.br/

Hugo disse...

Marcelo - Com certeza não é imoral. A história faz pensar ao mostrar o lado oculto de cada um.

Celo - Também concordo que o filme não feito para polemizar, a história é interessante e atual.

Amanda - Os cenários "limpos" ao apto do protagonista vão se deteriorando com a chegada da irmã, que é o contrário, ela é a confusão em pessoa.

Diogo - É um ótimo drama.

Abraço

J. BRUNO disse...

Filme maravilhoso, como o Celo disse a sua grandiosidade como obra de arte se torna ainda maior por ele abordar de forma tão contundente o vazio existencial do mundo contemporâneo...

http://sublimeirrealidade.blogspot.com.br/2012/07/o-pequeno-principe.html

Hugo disse...

J. Bruno - O filme retrata muito esta crise existencial.

Abraço

Pedrita disse...

verdade, não fica claro. em um recado a irmã diz que o q acontece com eles foi o q viveram na infância, ams realmente nada sabemos e assim ficamos. é estranho realmente. mas bem construído.