sábado, 14 de julho de 2012

Os Homens Que Encaravam Cabras

Os Homens Que Encaravam Cabras (The Men Who Stare at Goats, EUA, 2009) – Nota 7
Direção – Grant Heslov
Elenco – George Clooney, Ewan McGregor, Jeff Bridges, Kevin Spacey, Stephen Lang, Stephen Root, Robert Patrick, Waleed Zuaiter, Glenn Morshower, Rebecca Mader.

Em 2003, Bob Wilton (Ewan McGregor) é um acomodado jornalista de uma pequena cidade, que após ser abandonado pela esposa (Rebecca Mader de “Lost”) resolve mudar o foco da carreira e para mostrar que pode ser durão, segue para cobrir a Guerra do Iraque. 

Em um hotel de luxo no Kuwait, ele encontra o estranho Lyn Cassidy (George Clooney), nome que havia ouvido quando entrevistou um sujeito (Stephen Root) que dizia ter feito parte de uma unidade do exército de soldados paranormais. Bob pensava que o sujeito fosse maluco, porém ao encontrar Lynn e confirmar a história, ele decide se juntar ao homem para atravessar o deserto com destino ao Iraque, onde Lynn diz ter uma missão a cumprir. 

Em paralelo, o espectador conhecerá a história do pelotão paranormal em flashback, quando nos anos oitenta um oficial hippie (Jeff Bridges impagável) tentou criar o Exército da Nova Terra, que pregava a paz ao invés da guerra e ainda acreditava poder ensinar soldados a ler mentes, atravessar paredes, ficar invisíveis e até matar cabras com um olhar. 

A absurda premissa é baseada num livro de Jon Ronson e logo no início um aviso diz que "você ficaria surpreso com a quantidade de coisas neste filme que são verídicas". Esta verdade se torna ainda mais absurda quando ouvimos o diálogo entre dois oficiais, o bobalhão General Hopgood (Stephen Lang) explicando para seu superior (Glenn Morshower) porque foi criado o pelotão de paranormais. 

O ator Grant Heslov que é sócio de George Clooney na produtora Smoke House, dirige aqui seu segundo longa seguindo o estilo dos Irmãos Cohen, misturando história absurda com personagens estranhos, porém falta algo mais para alcançar o nível dos mestres. 

O elenco também é destaque, com Clooney usando um estranho bigode, Ewan McGregor como o jornalista covarde, Jeff Bridges com um papel que lembra o Dude de “O Grande Lebowski” e Kevin Spacey como o vilão invejoso e ganancioso. 

O resultado é uma comédia diferente que tira um sarro da guerra e do exército, em especial da arrogância americana.  

8 comentários:

renatocinema disse...

Sempre deixei esse filme para depois.......acho que o depois chegou. kk. Férias na universidade.

Diogo Marcelo de Oliveira disse...

oi gostei muito de seu blog tbem tenho um mas ainda estou começando com o meu participe dele ja estou participando do seu blog tbem
http://diogo-seriesefilmes.blogspot.com.br/

J. BRUNO disse...

Este está na minha lista já há um bom tempo, dia desse vi ele disponível em um site para download, mas acabei deixando de lado. Vou tentar ver em breve, me interessei ainda mais pelo comparativo que você fez com a obra dos Irmãos Cohen...

Maxwell Soares disse...

Este e um dos bons filmes que preciso, urgentemente, ver. O texto está muito bom, Hugo. Parabéns...

Hugo disse...

Renato - Este mês você terá de para assistir muito coisa.

Diogo - Valeu pela visita, em seguida irei conhecer seu blog.

J. Bruno - Segue a linha dos irmãos Cohen, mesmo sendo um pouco inferior.

Maxwell - Valeu.

Abraço a todos

O Narrador Subjectivo disse...

Comédia bizarra, mas com os seus momentos. Faz lembrar os Coen um pouco, mas sem dúvida inferior, concordo. Abraço

http://onarradorsubjectivo.blogspot.pt/

Az disse...

Me decepcionei com esse filme. As bizarrices e absurdos tinham tudo pra fazer um filme divertidíssimo, mas acho que se pecou pelo excesso. Os atores estão ótimos, mas o enredo achei bem ruinzinho...

Hugo disse...

Az - Os personagens são mesmo bizarros, mas algumas situações são interessantes.

Abraço