quinta-feira, 14 de junho de 2012

Henry - Retrato de um Assassino

Henry – Retrato de um Assassino (Henry: Portrait os a Serial Killer, UA, 1986) – Nota 7,5
Direção – John McNaughton
Elenco – Michael Rooker, Tracy Arnold, Tom Towles.

Henry (Michael Rooker) é um ex-presidiário que mora com um amigo que conheceu na cadeia, o estranho Otis (Tom Towles). Quando a irmã de Otis, a jovem Becky (Tracy Arnold) larga o marido e vem morar na casa do irmão, ela desperta atenção de Henry ao contar sobre sua infância, quando fora abusada pelo pai. A questão é que Henry é um serial killer que escolhe suas vítimas na rua aleatóriamente. Numa certa noite, Henry mata duas prostitutas, despertando em Otis o gosto pelo assassinato. Logo os dois sujeitos desajustados saem pela cidade à procura de vítimas, enquanto Otis parece descarregar sua tensão nos crimes, Henry não sente nada, apenas o desejo de matar. 

Esta produção que consta ter custado apenas cem mil dólares, foi a promissora estreia na direção de John McNaughton, que infelizmente não se firmou como grande diretor, tendo seu melhor trabalho no suspense policial “Garotas Selvagens”. 

Aqui McNaughton filma quase num estilo documental, com cenários paupérrimos e muitas cenas nas ruas, sempre enfatizando o lado sujo e violento. O roteiro do próprio diretor escrito em parceria com Richard Fire, foi baseado num serial killer real chamado Henry Lee Lucas, que até hoje ninguém sabe exatamente quantas pessoas ele assassinou. 

O filme também marcou a estreia do ator Michael Rooker (“Risco Total”, “The Walking Dead”), que com seu rosto duro e uma estranha voz com sotaque sulista se tornou especialista em vilões e aqui está perfeito como o assassino que não tem remorso algum. 

Pelas cenas fortes e violentas, além do final que foge do convencional, o longa foi lançado apenas em vídeo nos Estados Unidos e acabou sendo descoberto somente em 1989 quando foi apresentado em um festival, se tornando rapidamente cult. O filme chegou ao Brasil no início dos anos noventa apenas em vídeo e fez sucesso com a crítica.

4 comentários:

Jefferson C. Vendrame disse...

Nunca tinha ouvido falar nesse filme Hugo, a história parece ser bem interessante, nesse estilo gosto muito de Psicopata Americano e Assassinos por Natureza, ambos de meados da década de 80 e 90 respectivamente.
Valeu pela dica,

Grande abraço e não deixe de visitar minha página, acabei de atualizar...

Hugo disse...

Jefferson - É um filme de baixo orçamento que segue a linha das tramas sobre psicopata.

Abraço

O Narrador Subjectivo disse...

Ainda hoje um dos filmes mais negros alguma vez feitos. É um filme imperfeito, em que se notam as limitações a nível de recursos, mas muito eficaz e violento, pelo que concordo com a nota ;) Abraço

Hugo disse...

Narrador - O diretor quis mostrar como funciona a mente de um serial killer e acertou.

Abraço