quinta-feira, 21 de junho de 2012

Confiar

Confiar (Trust, EUA, 2010) – Nota 8
Direção – David Schwimmer
Elenco – Clive Owen, Catherine Keener, Liana Liberato, Jason Clarke, Viola Davis, Chris Henry Coffey, Noah Emmerich.

Annie (Liana Liberato) é uma adolescente que vive feliz com sua família (pais e um casal de irmãos) numa bela casa no subúrbio de Chicago. No aniversário, ela ganha um laptop dos pais, o publicitário Will (Clive Owen) e a mãe Lynn (Catherine Keener) e passa a frequentar salas de bate-papo na internet. Numa destas salas ela faz amizade com Charlie, que diz ter quinze anos e morar na Califórnia. Após algum tempo, Annie fica íntima de Charlie, que aos poucos conta para a garota que na verdade é mais velho. Mesmo em dúvida quanto a história contada por Charlie e sabendo que está traindo a confiança dos pais, Annie decide continuar o relacionamento virtual e aceita conhecê-lo pessoalmente, situação que terminará em estupro. 

Este drama é o segundo longa dirigido pelo ator David Schwimmer para o cinema e a princípio surpreende pelo tema, já que a carreira de Schwimmer está marcada pelo papel do atrapalhado Ross de “Friends”, porém pesquisando um pouco sobre o sujeito, fiquei sabendo que ele faz parte de uma fundação que combate estupro e pedofília, fato este que explica a escolha em filmar esta história pesada. 

Alguns críticos consideram a narrativa da trama muito didática, porém acredito ter sido um acerto esta escolha de Schwimmer, que além de mostrar passo a passo como age um predador pela internet, foca principalmente as consequências do estupro, em como o fato destrói a tranquilidade da família, situação valorizada pela interpretação do trio principal. 

Clive Owen faz o pai inconformado que não sabe lidar com a situação, Catherine Keener interpreta a mãe que tenta manter a família unida e a garota Liana Liberato tem uma bela atuação como a adolescente inteligente e ao mesmo tempo ingênua em virtude da falta de experiência de vida. 

O resultado é um drama competente, atual e realista, que merece ser visto. 

Não deixe de ver os créditos finais, que um traz uma pequena e ao mesmo tempo chocante revelação.     

6 comentários:

Thomás R. Boeira disse...

Estou muito curioso pra assistir esse filme. Só ouvi bons comentários e acho interessante que David Schwimmer, um cara mais conhecido pela comédia (principalmente em Friends, que adoro), conseguiu fazer um filme com um tema tão sério.

Abraço,
Thomás
http://brazilianmovieguy.blogspot.com.br/

Hugo disse...

Thomás - Ele pegou um tema pesado e transformou num ótimo filme.

Abraço

Amanda Aouad disse...

A revelação final é chocante mesmo. Também achei a narrativa bem interessante.

bjs

Anderson Landers disse...

Muito bom, nos mostrou uma grande realidade. E realmente o final é bem chocante, isso prova mais do que nunca, que não devemos confiar em ninguém. Eles podem estar em qualquer lugar e serem as pessoas mais improváveis.

Abraço.

Hugo disse...

Amanda e Anderson - A cena final mostra o verdadeiro lado negro de uma pessoa que parece ser comum.

Abraço

J. BRUNO disse...

Este está na minha lista faz tempo, uma amiga viu estes dias e rasgou elogios a ele, pretendo ver em breve!