quarta-feira, 30 de maio de 2012

Quarteto Fantástico & Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado



Quarteto Fantástico (Fantastic Four, EUA, 2005) – Nota 5,5
Direção – Tim Story 
Elenco – Ioan Gruffudd, Jessica Alba, Chris Evans, Michael Chiklis, Julian McMahon, Hamish Linklater, Laurie Holden, Kerri Washington.

Durante uma viagem especial, um foguete sofre um acidente e seus quatro tripulantes voltam para Terra com poderes especiais. Reed Richards (Ioan Gruffudd) pode se esticar como se fosse de borracha, Ben Grimm (Michael Chiklis) se transforma em pedra, Susan Storm (Jessica Alba) pode ficar invisível e seu irmão Johnny Storm (Chris Evans) ganha o poder se transformar em fogo. Logo o grupo se torna popular e passa a usufruir da fama, porém Victor Von Doom (Julian McMahon) que financiou a viagem espacial também desenvolve um poder especial que utilizará contra o quarteto.

O filme acabou massacrado pela crítica em virtude das várias falhas no roteiro e dos personagens mal desenvolvidos e pessimamente interpretados, com exceção do bom Michael Chiklis como o Coisa. Os diálogos engraçadinhos não ajudam e até as cenas de ação são apenas razoáveis. É com certeza uma das adaptações mais fracas da Marvel, mesmo para pessoas como eu que não são especialistas em quadrinhos.

Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado (Fantastic Four: Rise of the Silver Surfer, EUA / Alemanha / Inglaterra, 2007) – Nota 5,5
Direção – Tim Story
Elenco – Ioan Gruffud, Jessica Alba, Chris Evans, Michael Chiklis, Julian McMahon, Kerry Washington, André Braugher, Doug Jones, Laurence Fishburne, Zach Grenier.

Reed Richards (Ioan Gruffudd) e Sue Storm (Jessica Alba) estão prestes a se casar e abandonar a vida de combate ao crime, porém a chegada de um ser alienígena, o Surfista Prateado causando alterações no clima e pânico no mundo, faz a dupla adiar a aposentadoria. Na verdade, o Surfista Prateado é um emissário de Galactus, que veio preparar o caminho para ele destruir o planeta. Além disso, o quarteto ainda precisará enfrentar novamente Dr. Doom (Julian McMahon). 

O melhor do longa são os efeitos visuais, inclusive o Surfista Prateado (criado na figura do mímico Doug Jones), porém a história é fraquinha, os personagens soltam sempre uma piadinha após uma cena de ação e o elenco continua ruim como no original, novamente tendo como exceção o bom Michael Chiklis. 

4 comentários:

Gilberto Carlos disse...

Gostei dos dois filmes, apesar deles terem sido tão criticados, mas é claro que são divertimentos passageiros.

Hugo disse...

Gilberto - São divertidos, porém roteiro e elenco são bem fracos.

Abraço

Anderson Landers disse...

O Primeiro é legal, o segundo é meio fraco. São somente entretenimentos para passar o tempo.

Abraço.

Hugo disse...

Anderson - São razoáveis. A franquia tinha potencial para ser melhor.

Abraço