domingo, 20 de maio de 2012

A Grande Chantagem

A Grande Chantagem (The Big Knife, EUA, 1955) – Nota 7,5
Direção – Robert Aldrich
Elenco – Jack Palance, Ida Lupino, Wendell Corey, Jean Hagen, Rod Steiger, Shelley Winters, Ilka Chase, Everett Sloane, Paul Langton, Wesley Addy.

O grande astro de cinema Charles Castle (Jack Palance) passa por uma séria crise. Está separado de sua esposa Marion (Ida Lupino) que aceita voltar para casa apenas se o marido não renovar o contrato com o produtor Stanley Hoff (Rod Steiger), sujeito que pensa apenas no lucro dos filmes, sem se preocupar com a qualidade artística. 

Marion pressiona o marido, dizendo que ele era idealista no início de carreira, mas se vendeu para ficar rico e famoso. Mesmo pensando em não renovar o contrato, Charles está numa encruzilhada em virtude do produtor Stanley saber a verdade sobre um acidente de carro onde uma pessoa faleceu e seu amigo Buddy (Paul Langton) assumiu a culpa e cumpriu pena na prisão. Charles diz ainda amar a esposa, porém mantém casos com várias fãs, inclusive com a esposa de seu amigo Buddy, a bela Connie (Jean Hagen). 

Esta teia de segredos e mentiras é filmada de modo teatral, com quase todas as cenas se passando na sala da mansão de Charles, com uma história que critica ferozmente o mundo do cinema na época. O astro vivido por Jack Palance passa a impressão de ser feliz com o sucesso, porém sua vida é um caos e toda a sujeira que aparece é jogada debaixo do tapete, as custas de lealdade e até mesmo chantagem. 

O personagem do produtor vivido por Rod Steiger é provavelmente baseado nos chefões dos estúdios da época, que mantinham astros e estrelas sobre contratos de exclusividade, que os obrigavam muitas vezes a aceitar qualquer papel, em troca de um polpudo salário e muita fama. Apesar de hoje os atores assinarem contratos por filmes, os bastidores continuam iguais ou até piores aos mostrados neste filme. 

Como curiosidades, a atriz inglesa Ida Lupino foi a primeira estrela a se aventurar na direção ainda no final dos anos quarenta e se tornou também produtora e roteirista. Já o diretor Robert Aldrich assinou vários grandes filmes como “Os Doze Condenados” e “O Que Terá Acontecido com Baby Jane?”.

3 comentários:

Celo Silva disse...

Não conheço, mas Aldrich é sempre uma boa pedida.

Amanda Aouad disse...

Parece interessante.

bjs

Hugo disse...

Celo e Amanda - Aldrich fez uma bela carreira e este drama é interessante por mostrar os bastidores de Hollywood na época.

Abraço