sexta-feira, 20 de abril de 2012

Trabalho Sujo & Censura Máxima


Os irmãos Emilio Estevez e Charlie Sheen começaram praticamente juntos no cinema, mas seguiram carreiras distintas. Emilio Estevez por ser mais velho fez fama primeiro, porém a partir dos anos noventa preferiu se dedicar mais a direção, deixando a atuação em segundo plano. Já Charlie Sheen se tornou astro com filmes como "Platoon" e "Wall Street", para depois se afundar nas drogas e noitadas com mulheres, mas mesmo com altos e baixos, voltou ao topo com a série "Two an Hal Men", de onde saiu brigado e novamente no meio de polêmicas.

Neste postagem cito dois filmes protagonizados pela dura e dirigidos por Estevez, com temáticas bem diferentes entre si e uma diferença de dez anos entre as produções.

Trabalho Sujo (Men at Work, EUA, 1990) – Nota 6
Direção – Emilio Estevez
Elenco – Charlie Sheen, Emilio Estevez, Leslie Hope, Keith David, John Getz, Dean Cameron.

Dois amigos, Carl e James (Charlie Sheen e Emilio Estevez) trabalham como lixeiros e dividem um apartamento sonhando em economizar para terem o próprio negócio. Carl utiliza um telescópio para espionar os vizinhos, principalmente as mulheres e acaba vendo um sujeito bater numa moça (Leslie Hope). Ele acerta o homem com um tiro de chumbinho e no dia seguinte a dupla o encontra morto dentro da lixeira. Pensando terem matado o sujeito, eles tentam esconder o corpo, porém não sabem que ele foi assassinado por outros motivos, dando início a uma grande confusão com os verdadeiros assassinos e a polícia. 

Seguindo a linha das comédias de desencontros e ainda com pitadas de policial, Emilio Estevez dirigiu e escreveu o roteiro de uma trama que pode agradar quem gosta do gênero, principalmente em comparação com as comédias atuais, mas no geral é apenas uma diversão sem compromisso.   

Censura Máxima (Rated X, EUA, 2000) – Nota 6
Direção – Emilo Estevez
Elenco – Charlie Sheen, Emilio Estevez, Megan Ward, Rafer Weigel, Terry O'Quinn, Tracy Hutson, Danielle Brett, Peter Bogdanovich.

No anos sessenta, Jim Mitchell (Emilio Fernandez) é um estudante de cinema que entra em conflito com seu professor (o diretor Peter Bogdanovich numa ponta), em virtude de filmar muheres seminuas em seus trabalhos de curso. Percebendo que o cinema pornô estava prestes a explodir, Jim se une a seu irmão Artie (Charlie Sheen) para produção de filmes pornográficos, conseguindo sucesso com o hoje clássico “Atrás da Porta Verde”, que transformou Marilyn Chambers (Tracy Hutson) em estrela do gênero. Com o sucesso e muito dinheiro, surgem os problemas com a censura e o governo, que eles enfrentam alegando liberdade de expressão, porém o envolvimento da dupla com as drogas terminará de forma trágica. 

Esta interessante premissa é baseada na história real dos irmãos Mitchell, que estiverem entre os primeiros a explorar o gênero pornô com sucesso e tinha tudo para se tornar um grande filme, porém o resultado é frio. Por ser um filme produzido para a tv, as limitações do veículo amenizam a história, que além disso tem roteiro simples, que lembra um documentário para tv.

O crescimento da indústria pornô americana nos anos setenta e oitenta foi contada de forma competente em “Boggie Nights” e aqui Emilio Estevez não soube aproveitar o assunto.   

2 comentários:

Celo Silva disse...

Assisti os dois filmes, lembro que na época de gostei do Censura, mas teria q rever.

Hugo disse...

Celo - São dois apenas razoáveis, com
"Censura Máxima" tendo potencial para ser um filme bem melhor.

Abraço