segunda-feira, 30 de abril de 2012

Bombas - Atores Famosos, Filmes Ruins - Parte I

Como é grande a quantidade de filmes ruins protagonizados por atores famosos, dividirei este tema em algumas postagens.

Vida Bandida (Bandits, EUA, 2001) – Nota 6
Direção – Barry Levinson
Elenco – Bruce Willis, Billy Bob Thornton, Cate Blanchett, Troy Garity, Brian F. O’Byrne, January Jones, Bobby Slayton, Azura Skye.

Os bandidos Joe (Bruce Willis) e Terry (Billy Bob Thornton) fogem da prisão e iniciam uma série de assaltos a bancos, sempre sequestrando o gerente da agência na noite anterior ao roubo para este abrir o cofre. Em um destes assaltos, a dupla acaba levando a entediada Kate (Cate Blanchett), que vê na vida da dupla a chance de ter a aventura que tanto sonha. Além disso, os dois se apaixonam pela mulher que fica dividida e brinca com a situação, manipulando os amigos. 

O longa tenta misturar policial, comédia e romance, mas falha no fraco e forçado triângulo amoroso e na excessiva duração, além da mão pesada de Barry Levinson, tendo como ponto principal as atuações de Cate Blanchett e de Billy Bob Thornton como o sujeito cheio de manias. 

Tudo pela Fama (American Dreamz, EUA, 2006) – Nota 5,5
Direção – Paul Weitz
Elenco – Hugh Grant, Dennis Quaid, Mandy Moore, Willem Dafoe, Chris Klein, Jennifer Coolidge, Sam Golzari, Marcia Gay Harden, Seth Meyers, John Cho, Judy Greer, Bernard White, Tony Yalda, Shohreh  Aghdashloo, Marley Shelton.

Esta comédia tenta fazer uma crítica aos reality shows musicais e principalmente sobre a fama. A história tem como personagem principal o apresentador de um programa ao estilo “American Idol” chamado Martin Tweed (Hugh Grant fazendo papel de canalha), que sendo o campeão de audiência da temporada, tenta manter o Ibope convidando figuras excêntricas e jogando todas as suas fichas na aspirante a fama Sally Kendoo (Mandy Moore), a quem Martin percebe ser parecida com ele, ou seja, faria tudo pela fama. Misturando isso com o presidente recém reeleito (Dennis Quaid) que entra em depressão, seu assessor picareta (Willem Dafoe) que deseja levá-lo para ser juiz no programa e com mais um grupo de terroristas malucos, temos um filme extremamente confuso. 

O absurdo de algumas situações acaba estragando o que poderia até ser engraçado, porém o roteiro ruim, os personagens caricatos e a péssima interpretação de Dennis Quaid que tenta parodiar a inexpressividade de George W. Bush, piora ainda mais o resultado. 

Passando dos Limites (Noise, EUA, 2007) – Nota 6
Direção – Henry Bean
Elenco – Tim Robbins, Bridget Moynahan. William Hurt, Margartia Levieva, Gabrielle Brennan, Maria Ballesteros, William Baldwin.

Dave Owen (Tim Robbins) parece ser um cara normal, tem um trabalho regular e mora em Nova Iorque com a esposa (Bridget Moynaham) e a filha (Gabrielle Brennan), porém ele está totalmente estressado com os barulhos da cidade. O longa começa com Dave conversando com uma jovem (Margarita Levieva) que o acusa de ser o “Retificador”. Nesta conversa ele contará sua história, de como os barulhos o irritam e principalmente os alarmes de carros. Para combater este problema, ele criou a figura do “Retificador”, que sai pelas ruas da cidade destruindo todos os carros que estão com os alarmes disparados. 

Esta primeira parte do filme chega a ser uma crítica interessante aos barulhos da cidade grande, que são extremamente irritantes, mas nós moradores acabamos nos acostumando, lembrando um pouco o ótimo “Um Dia de Fúria”. Na parte final, quando a trama segue o caminho da política e da justiça, a história perde o foco e o filme desanda, partindo para uma disputa sem sentido, que acaba num julgamento constrangedor, piorando ainda mais com a atuação caricata de William Hurt como o prefeito. Resumindo, a boa história acabou sendo desperdiçada numa resolução fraca.

Morte Por Encomenda (The Big Bang, EUA, 2011) – Nota 4,5
Direção – Tony Krantz
Elenco – Antonio Banderas, Delroy Lindo, Thomas Kretschmann, William Fichtner, Sam Elliott, Sienna Guillory, Jimmi Simpson, Robert Ernie Lee, James Van Der Beek, Robert Maillet, Snoop Dogg, Rebecca Mader, Bill Duke, Autum Reeser.

O detetive particular Ned Cruz (Antonio Banderas) está sangrando, cego após levar um golpe na cabeça e sendo interrogado por três policiais. Para explicar a situação aos policiais, Ned contará toda a história, que o espectador verá em flashback. A trama começa em Los Angeles, quando Ned Cruz é contratado pelo ex-presidiário e boxeador Anton “The Pro” Protopov (o gigante Robert Maillet) para localizar Lexie Persimmon, uma bela mulher que trocava cartas de amor com Anton quando ele estava preso. Durante a procura Ned cruzará com várias pessoas, o que acarretará num rastro de mortes até um local secreto no deserto do Nova México. 

Este filme tem um dos roteiros mais malucos dos últimos tempos, no pior sentido da loucura. O começo lembra um misto do ótimo “Os Suspeitos” com uma trama de filme noir, mas já durante a investigação feita pelo personagem de Banderas, percebemos como os personagens ao seu redor são caricatos. Quando a trama chega ao deserto, a história afunda completamente, com dois malucos, um milionário (Sam Elliott) e um cientista (Jimmi Simpson) tentando recriar o Big Bang, alguns personagens procurando diamantes e a ridícula explicação das cartas que o presidiário grandalhão recebia. Para cada bom trabalho que Banderas faz com Almodovar na Europa, ele compensa estrelando uma bomba em Hollywood. 

Os Cavaleiros do Apocalipse (The Horsemen, EUA, 2009) – Nota 5,5
Direção – Jonas Akerlund
Elenco – Dennis Quaid, Ziyi Zhang, Lou Taylor Pucci, Clifton Collins Jr, Barry Shabaka Henley, Patrik Fugit, Eric Balfour, Paul Dooley, Chelcie Ross, Peter Stormare, Liam James.

O detetive Aidan Breslin (Dennis Quaid) investiga dois assassinatos com requintes de tortura que estão ligados a uma aparelho medieval que suspende as vítimas presas em ganchos. Cada vez mais obcecado em resover o caso, Breslin ainda precisa lidar com seus dois filhos (Lou Taylor Pucci e Liam James), que vivem praticamente independentes após a morte da mãe. Durante a investigação, Breslin descobre que os assassinatos estão ligados ao livro do apocalipse e que outras mortes podem ocorrer e precisam ser evitadas. 

A ótima premissa de misturar religião com assassinatos rituais tem um bom início, criando um interessante clima de suspense com algumas cenas violentas, porém a partir da metade do filme a história se perde. O roteiro cria reviravoltas absurdas, não aproveita o personagem de Clifton Collins Jr que some da ação em algumas sequências, piorando com as péssimas interpretações de Ziyi Zhang e Lou Taylor Pucci, finalizando sem um clímax e com uma explicação ridícula que qualquer cinéfilo descobre na metade do filme. Os pontos positivos são o clima que já citei e a produção bem cuidada, porém é pouco para salvar o filme.

8 comentários:

Celo Silva disse...

Hehe, gostei da postagem, tem muito filme ruim com ator famoso. Eu até gosto de Vida Bandida, mas não dá para dizer que seja bom mesmo... rs

Clenio disse...

Olha, eu acho "Vida bandida" bem decente. Adoro a atuação da Cate Blanchett e, apesar de concordar quanto à duração excessiva eu me diverti bastante com ele.

Quanto aos outros... sem remédio, mesmo, ainda que o filme do Hugh Grant tenha seus momentos (perdidos no restante, mas mesmo assim....)

Abraços
Clênio
www.lennysmind.blogspot.com
www.clenio-umfilmepordia.blogspot.com

renatocinema disse...

Legal sua ideia sobre filme ruim com ator famoso.

Diverte e contextualiza. Mulher Gato, diria que é um péssimo filme com boas atrizes.

! Marcelo Cândido ! disse...

Desses só gosto de Vida Bandida !

Amanda Aouad disse...

hehe, boa ideia mesmo, não sei se agradeço ou lamento não ter visto nenhum desses. :p

bjs

Hugo disse...

Celo - A lista de filmes para comentar é grande.

Clênio - Concordo, a atuação de Cate Blanchett é boa, assim como o apresentador canastrão que Hugh Grant interpreta em "Tudo Pela Fama", mas apenas isso não salvam os filmes.

Rentato - Ainda não tive a chance ou coragem de assistir "Mulher Gato".

Marcelo - É o menos ruim da lista.

Amanda - É melhor agradecer...rs

Abraço a todos

Gilberto Carlos disse...

Os agentes dos atores não os ajudam muito. Vários deles fazem filmes tão ruins que é de impressionar. Vi também que Dennis Quaid é citado em vários desses filmes, mas você se esqueceu do Dennis Quaid...

Hugo disse...

Gilberto - Dennis Quaid é um bom ator, mas também fez vários filmes ruins nos últimos anos.

Abraço