sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Dia 30 - Nunca Mais (Filme Mais Traumático)

Anticristo (Antichrist, Dinamarca / Alemanha / França / Suécia / Itália / Polônia, 2009) – Nota 4
Direção – Lars Von Trier
Elenco – Willem Dafoe, Charlotte Gainsbourg.

Um casal (Willem Dafoe e Charlotte Gainsbourg) sofrem uma terrível perda, o pequeno filho pula da janela do apartamento onde vivem enquanto o casal faz sexo e não percebe a situação. Após a tragédia, a mulher que é escritora entra em depressão, enquanto o marido psicanalista tenta ajudá-la. No meio deste processo, o casal resolve se mudar para uma cabana no meio da floresta de um local chamado Eden, mas ao invés de melhorar a situação, esta mudança leva a esposa a insanidade total, terminando em outra tragédia. 

Antes deste, assisti apenas a outros dois filmes de Lars Von Trier, o polêmico “Os Idiotas”, produzido na época do “Movimento Dogma” criado por ele e outros cineastas escandinavos e posteriormente o musical “Dançando no Escuro”. Apesar de serem filmes que fogem do lugar comum, foram obras interessantes, diferente deste “Anticristo” feito especificamente para chocar, exarcebando o lado marqueteiro de Von Trier, que começou ainda no “Movimento Dogma”. 

O cinema já mostrou várias vezes as conseqüências de uma perda, seja filho, companheiro ou pais, tema com o qual Von Trier inicia bem o longa, mesmo sendo lento em excesso, mas ao levar os personagens para a floresta, ele transforma aquela relação em um filme de terror sádico e exagerado, com cenas desnecessárias criadas para chocar o público. Uma pena, pois a sinistra trilha sonora é inquietante e os enquadramentos de cenas e o visual são de um cineasta talentoso, mas que prefere ser reconhecido pela polêmica.  

10 comentários:

André Sousa disse...

A minha escolha seria o abominável Saló de Pasolini.

Abç

Jefferson Clayton Vendrame disse...

Nossa só de ler a sinopse percebe-se que se trata de um filme meio loco... Eu particularmente não consigo gostar de Dafoe...

Abração

Marcos Rosa disse...

Este filme é muito bom, com cenas de fazer vc se espremer na poltrona. As primeiras cenas são fantásticas. Imperdível. Eu até assistiria novamente, talvez rsrsrs

Rodrigo Mendes disse...

gostei da sua escolha. A minha seria 'Irreversível' ou quem sabe A Serbian Film.

Abs.

Hugo disse...

André - Este eu ainda não tive vontade de encarar.

Jefferson - Pior que Dafoe é a arrogância do diretor.

Marcos - Respeito sua opinião, mas eu não assistiria nem recebendo dinheiro.

Rodrigo - Eu gosto de "Irreversível" e ainda não assisti "A Serbian Film".

Abraço

Gilberto Carlos disse...

Lars Von Trier é um diretor do tipo ame ou odeie. Adoro Dançando no escuro, Dogville e Melancolia, mas este Anticristo ainda não vi, apesar de ter um pouco de curiosidade.

Hugo disse...

Gilberto - Concordo, seus filmes não deixam o espectador indiferente.

Abraço

O Narrador Subjectivo disse...

Concordo com o texto, acho que o argumento perde objectividade e a única preocupação passa a ser chocar o máximo possível, o que não faz o filme necessariamente mais interessante. Abraço

Fábio Henrique Carmo disse...

Gostei da definição do "prefere ser reconhecido pela polêmica". Isso define boa parte do cinema dele mesmo.

Hugo disse...

Narrador e Fábio - Von Trier infelizmente exagerou na dose.

Abraço