domingo, 4 de dezembro de 2011

S.O.S. Submarino Nuclear

S.O.S. Submarino Nuclear (Gray Lady Down, EUA, 1978) – Nota 7
Direção – David Greene
Elenco – Charlton Heston, David Carradine, Stacy Keach, Ned Beatty, Ronny Cox, Stephen McHattie, Dorian Harewood, Charles Cioffi, Michael O’Keefe, Christopher Reeve, David Clennon, Michael Cavanaugh.

O submarino nuclear Gray Lady se choca com um navio norueguês e afunda, ficando preso no fundo do mar. O capitão Paul Blanchard (Charlton Heston) tenta acalmar os sobreviventes e manter a ordem, porém com passar do tempo as chances de salvamento diminuem. Enquanto isso numa porta-aviões, o Capitão Bennett (Stacy Keach) tem esperança de resgatar os homens através de um pequeno submarino experimental criado pelo Capitão Gates (David Carradine) e o Oficial Mickey (Ned Beatty). 

Mesmo produzido há mais de trinta anos com efeitos especiais extremamente simples comparando com a atualidade, o filme prende a atenção com boas cenas de suspense, criando uma tensão crescente entre os sobreviventes presos no submarino. 

Não pode ser considerado um filme especial ou diferenciado, inclusive lembras as produções do cinema catástrofe da época, mas mesmo assim é competente em sua proposta. 

Como curiosidade temos a pequena participação de Christopher Reeve um pouco antes de ficar famoso como “Superman”. 

2 comentários:

Filmes Antigos Club disse...

Saudações Hugo. Este filme eu cheguei a ver no cinema quando ainda era guri, e o único que assisti com Charlton Heston no cinema. Aliás, sabia que ele esteve aqui no Rio de janeiro para divulgar esta fita, em 1978 (nesta época eu tinha 8 anos)?

Hugo, elegi seu blog entre os 13 mais destacados na área sobre cinema e escrevi um artigo sobre isto no meu blog para o site Dihitt. Apareça lá. Abraços e boa semana.

Hugo disse...

Paulo - Obrigado pela citação, visitei seu blog e fiquei feliz com suas palavras.

Eu sabia que Heston havia visitado o Brasil para lançar o filme, fato que não era comum na época, bem diferente dos dias atuais onde os atores viajam muito para apresentar um novo trabalho.

Abraço