quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Halloween II & III


Halloween II (Halloween II, EUA, 1981) – Nota 7,5
Direção – Rick Rosenthal
Elenco – Jamie Lee Curtis, Donald Pleasence, Charles Cyphers, Lance Guest, Jeffrey Kramer, Leo Rossi.

Esta sequência começa exatamente onde terminou o original, com o Dr. Loomis (Donald Pleasence) desesperado dizendo que atirou várias vezes em Michael Myers, mas mesmo assim Myers fugiu. O Dr. Loomis pressiona o Xerife Bracket (Charles Cyphers) a caçar Myers. Enquanto isso a jovem Laurie (Jamie Lee Curtis), sobrevivente do massacre, é levada para o hospital da cidade e nem imagina que Myers continuará a sua procura. 

O grande sucesso do original fez com que os produtores preparessem uma sequência com maior orçamento, porém não contavam que John Carpenter desistisse de dirigir. Mesmo sendo inferior ao original, o filme é competente e tem um roteiro que segue a história com integência, tendo até mesmo um final que poderia encerrar a série, mas os produtores criaram uma terceira parte que não tem ligação alguma com a história e depois praticamente ressuscitaram a série na parte quatro.

Halloween III (Halloween III: Season of the Witch, EUA, 1982) – Nota 5,5
Direção – Tommy Lee Wallace
Elenco – Tom Atkins, Stacey Nelkin, Dan O’Herlihy, Michael Currie.

O Dr. Dan Challis (Tom Atkins) trabalhando em um hospital recebe um paciente totalmente alucinado que fala sobre uma conspiração. Em seguida um outro sujeito mata o homem e põe fogo no próprio corpo. A filha do homem assassinado, Ellie (Stacey Nelkin) se junta ao médico para investigar o que aconteceu com seu pai. A dupla chega até a cidade de Santa Mira na Califórnia e descobre algo estranho na fábrica de Conal Cochran (Dan O’Herlihy), que fabrica máscaras para Halloween e produziu um lote gigantesco para as crianças usarem na data que se aproxima. 

O filme tem de ser analisado por dois ângulos, o primeiro diz respeito a série “Halloween”, que mesmo sendo considerando um filme oficial, a história não tem ligação alguma com o assassino Michael Myers. Tommy Lee Wallace que estreava na direção, alega que a idéia seria criar uma nova história dentro da franquia, o que acabou levando o filme ao fracasso. 

Por outro lado, analisando apenas como um filme de terror sem ligação com a série, o resultado é até aceitável, comparando com outras produções do gênero à época. O longa é violento, com diversas cenas de mortes, uma história interessante e até um bom vilão, o irlandês Dan O’Herlihy. 

5 comentários:

Anderson Landers disse...

Muito bom Halloween 2, na minha opinião, foi uma continuação perfeita, porém o 3 que não tem nenhuma ligação com a série, não cheguei a ver, mas parece ser bom.

Rodrigo Mendes disse...

Adoro o segundo filme que acontece na mesma noite das bruxas, mas o terceiro...muito irregular. Nada a ver.

Abs!

Hugo disse...

Anderson e Rodridpo - A parte II é um bom filme que segue corretamente o original, mas a parte III nem deveria ser considerado filme da série.

Abraço

Luís disse...

Sobre "Halloween II", eu considero uma continuação exemplar, embora Michael Myers já tenha perdido um pouco do seu tom sucinto do primeiro filme - está mais perigoso, mais veloz, mais barulhento. E eu adoro o fato de o filme segundo se encaixar imediatamente após o primeiro - é simplesmente genial! Os dois anos que separam os filmes não significam quase nada...

A respeito do terceiro, concordo com você: enquanto obra independente da série "Halloween", é funcional; mas dentro dela é um verdadeiro tiro no pé, porque é extremamente incoerente. Eu realmente acho que deveriam, após o fracasso comercial, ter modificado o nome e lançado de novo.

Hugo disse...

Luís - Continuações tendem a ser complicadas em virtude da comparação com o original e quando mudam totalmente o foco, como no caso desta parte III, o resultado acaba sendo ainda pior.

Abraço