quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Eu, Meu Irmão e Nossa Namorada

Eu, Meu Irmão e Nossa Namorada (Dan in Real Life, EUA, 2007) – Nota 7
Direção – Peter Hedges
Elenco – Steve Carell, Juliette Binoche, Dane Cook, Dianne Wiest, John Mahoney, Alison Pil, Brittany Robertson, Marlene Lawston, Norbert Leo Butz, Amy Ryan, Jessica Hecht, Frank Wood, Emily Blunt.

O viúvo Dan (Steve Carell) cuida das três filhas deixando sua vida pessoal de lado. Ele é bem sucedido como colunista de um jornal onde responde perguntas dos leitores, mas vive em conflito com as filhas, sendo duas já adolescentes. Num final de semana, ele leva as garotas para uma reunião de família na casa de seus pais (Dianne Wiest e John Mahoney), onde encontrarão tios, tias e os filhos destes. 

Logo no primeiro dia Dan sai para comprar um jornal e ao parar em uma livraria encontra a bela Marie (Juliette Binoche), por quem se sente atraído e tem uma agradável conversa, porém a mulher diz que tem namorado e deixa apenas um número de telefone. Voltando animado para a casa dos pais, ele toma um susto ao descobrir que Marie é a nova namorada de seu irmão Mitch (Dane Cook), dando início a um tumultuado final de semana. 

O diretor Peter Hedges segue a linha de seus outros trabalhos como roteirista, como “Gilbert Grape – Aprendiz de Sonhador” e “O Grande Garoto”, filmes com histórias que misturam passagens engraçadas com situações melancólicas, onde a frustração dos personagens fica clara. 

Este trabalho toca com carinho na relação entre pai e filhas, além de brincar com histórias de amor à primeira vista, valorizada pela simpatia do casal principal, com Steve Carell mostrando novamente que é mais do que um comediante, tendo outra boa interpretação assim como em “Pequena Miss Sunshine” e a bela Juliette Binoche cria uma divertida e simpática personagem, além de não parecer os mais de quarenta anos de idade que tinha na época. 

É o típico filme sobre família que deixa um sorriso no rosto do espectador ao final da sessão.     


6 comentários:

Emerson disse...

Um filme muito agradável, a sua última frase resume bem o que o filme representa!!!

Abraço!!!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Também gostei desse filme, Hugo. É bem simpático.

O Falcão Maltês

Silvia Freitas disse...

Ai Hugo, eu não gostei muito desse filme não. Achei que a tal "namorada" foi muito sacana, e judiou pacas do Carrel, que parecia uma besta apaixonada que não via o que fazia, inclusive ignorando até as filhas. No final eles enfim tomam uma atitude certa, mas até então toda a situação me estressa rsrsrsrsr. Gde abraço!!!

Hugo disse...

Emerson e Antonio - Um filme simpático realmente.

Silvia - Acredito que o roteiro tentou mostrar como as pessoas ficam "bobas" quando estão apaixonadas e por consequência cometem grandes erros.

Abraço a todos

O Narrador Subjectivo disse...

Gostei muito deste filme, ligeiro mas muito humano.

David C. disse...

Me gusto la película.