segunda-feira, 5 de setembro de 2011

10 Minutos Para Morrer

10 Minutos Para Morrer (10 to Midnight, EUA, 1983) – Nota 7
Direção – J. Lee Thompson
Elenco – Charles Bronson, Lisa Eilbacher, Andrew Stevens, Gene Davis, Geoffrey Lewis, Wilford Brimley, Robert F. Lyons, Kelly Preston.

O veterano detetive Leo Kessler (Charles Bronson) é um policial durão, encarregado de solucionar o assassinato de uma garota amiga de sua filha Laurie (Lisa Eilbacher) e recebe como parceiro o jovem Paul McAnn (o galã de filmes B e hoje também produtor Andrew Stevens). 

Durante a investigação, Kessler acredita que o assassino seja o estranho Warren Stacy (Gene Davis), mas percebe que não conseguirá provar a culpa do rapaz se tiver que seguir as leis, o que causará uma tremenda frustração e ainda o fará entrar em conflito com seu parceiro, um sujeito que sempre segue as regras. 

A carreira de Charles Bronson pode ser dividida em duas fases: A primeira que vai do início nos anos cinqüenta até meados dos anos setenta, quando trabalhou em clássicos como “Os Doze Condenados”, “Fugindo do Inferno” e “Era Uma Vez no Oeste”. A segunda fase começa nos anos setenta quando ele direcionou sua carreira para ser sempre o ator principal, na maioria das vezes dividindo a tela com sua esposa, a fraca atriz inglesa Jill Ireland. 

Nesta fase com certeza “10 Minutos Para Morrer” é seu último bom filme, sem os exageros dos filmes posteriores. Este é um filme policial focado muito mais no suspense do que na ação, com um roteiro que valoriza a participação sinistra do psicopata vivido por Gene Davis e tem uma boa interpretação de Bronson como o policial que se deixa levar pela emoção, principalmente quando o vilão resolve atacar sua filha, além da eletrizante sequência final, com uma solução politicamente incorreta até a medula. 

Como curiosidade, Charles Bronson e J . Lee Thompson trabalharam juntos em nove filmes. Em breve farei uma postagem sobre os demais filmes da dupla.

2 comentários:

Fernanda Bonafide disse...

Este ainda não assisti, acredito que no fim dos anos 70 até os 80 foi a Glória do C. Bronson, com destaque do magistral "Assassino a preço fixo" visite meu site, seu domínio é www.waldirbronson.com

Hugo disse...

Fernanda - Sem dúvida, esta foi a época em que ele se tornou protagonista de diversos filmes policiais e de ação, deixando de ser um coadjuvante de luxo, como foi em vários grandes filmes nos anos sessenta.

Abraço