quarta-feira, 15 de junho de 2011

Esquadrão Classe A - Filme & Série



Esquadrão Classe A (The A-Team, EUA, 2010) – Nota 6,5
Direção – Joe Carnahan
Elenco – Liam Neeson, Bradley Cooper, Jessica Biel, Quinton “Rampage” Jackson, Sharlto Copley, Patrick Wilson, Gerald McRaney, Henry Czerny, Yul Vazquez.

Esquadrão Classe A (The A-Team, EUA, 1983 a 1987) 
Criação – Stephen J. Cannel & Frank Lupo
Elenco – George Peppard, Dirk Benedict, Mr. T, Dwight Schultz.

Quatro oficiais do exército americano acabam se conhecendo durante uma confusão com um chefão do crime no México. Oito anos depois eles são uma equipe especial durante a Guerra do Iraque. 

Liderados pelo Coronel John “Hannibal” Smith (Liam Neeson), a equipe é enviada em uma missão extra-oficial para recuperar placas usadas para fabricação de dinheiro que foram roubadas. O grupo é composto pelo Tenente Templeton “Face” Peck (Bradley Cooper), o Sargento B. A. Baracus (Quinton “Rampage” Jackson”) e o maluco Capitão Murdock (Sharlto Copley). 

Esta missão faz com que o grupo fique no meio de uma briga entre o agente da CIA Lynch (Patrick Wilson) e a oficial Charissa Sosa (Jessica Biel), sendo enganados e condenados a prisão. Na cadeia o Coronel Hannibal arma um plano para fugir e provar a inocência do grupo. 

Infelizmente esta refilmagem deixa de lado todo o charme da série original, abusando dos efeitos especiais e criando sequências absurdas de ação repletas de violência. A série tinha cenas de ação, porém em sua maioria eram perseguições de carros e brigas bem mais ingênuas que as mostradas aqui, tendo como trunfo os toques de comédia e principalmente o carisma do quarteto principal. 

Em comparação do elenco a distância é menor, Liam Neeson não compromete, apesar de não ter o mesmo carisma e a engraçada canastrice de George Peppard, que interpretava um Coronel Hannibal especialista em disfarces estranhos e planos malucos. Bradley Cooper é mais ator que Dirk Benedict que fazia o “Cara-de-Pau” e Sharlto Copley chega próximo ao maluco Murdock de Dwight Schultz. O elo fraco do elenco fica com Quinton Jackson, que não chega as pés do carisma de Mr. T, que nunca foi ator de talento, mas era perfeito no papel de B. A. tanto nas cenas de briga, quanto nos momentos de fúria contra Murdock e no medo de voar, onde o grupo sempre inventava alguma armadilha para fazê-lo desmaiar. 

A maioria das refilmagens e adaptações de séries acabam se mostrando inferiores, quase sempre porque os produtores e diretores tentam adaptar a história ao público adolescente, dando ênfase as cenas de ação exageradas, sem se preocupar com a qualidade da história. É uma pena, neste caso apesar do filme não ser de todo ruim, fica claro que a decisão de modernizar a história passa longe do gosto dos antigos fãs.

12 comentários:

alan raspante disse...

Fico imaginando os "absurdos" que o filme contém, rs Estou afim de conferir, pelo visto, serve como um bom passatempo :)

p.s.: nunca nem vi sérieque originou o filme...

renatocinema disse...

Eu assisti ao filme. Como esperava algo ainda pior, fiquei no lucro. Mas, realmente poderia e deveria ser muito melhor.

KA disse...

Concordo Hugo. Realmente a refilmagem perdeu todo o charme do original. Não tenho nada contra efeitos especiais e entendo a intenção de agradar a nova geração, mas acho que é comum um exagero megalomaníaco, como aconteceu com a refilmagem de Speed Racer. Ou acontece uma supervalorização dos novos públicos, perdendo o respeito pelos fãs antigos ou estão subjulgando o cérebro deste público novo ao achar que só podem apreciar produções videogame.
A série era uma delícia! Divertimento leve e bom demais!
Abs

Ricardo Morgan disse...

Como eu não acompanhava a série, me diverti muito com o filme! Ficou bem cool!

Silvia Freitas disse...

Gostei muito dos atores, o filme cai um pouco no conceito exagero, como a cena do canhão caindo do céu (aff...). Mas de um modo geral, é um bom entretenimento

Amanda Aouad disse...

Tudo bem que eu já não era fã da série. Mas, realmente não consegui gostar de nada do filme de 2010. Então, nem sei se posso dizer que concordo com a perda do charme. hehe. Mas, o novo B.A. não dá nem pro cheiro.

bjs

Rafael W. disse...

Gostei do filme. É meio tosco, mas diverte com sua narrativa descerebrada.

http://cinelupinha.blogspot.com/

Hugo disse...

Alan - É indicada para quem gosta de cenas de ação exageradas.

Renato - É uma pena, a série tinha um ótimo potencial para um bom filme.

Ka - Vi o trailer de "Speed Racer" e ainda não tive coragem de conferir o filme.

Ricardo - É um filme indicado para o público jovem.

Silvia - É assistir sem levar a sério ou mesmo comparar com a série.

Amanda - É mais uma adaptação/refilmagem que desperdiça as boas idéias do original.

Rafael - Descerebrada é a palavra correta para definir o longa.

Abraço a todos

Alexandre Dantas disse...

Gostei do filme, acompanhei a antiga série e essa nova versão foi bem bacana, o "cara de pau" é realmente um figura... rsrs agora não sei se você viu, (deve ter visto), a participação de dois antigos personagens da primeira versão. Uma das cenas foi quando o "cara de pau" foi curtir uma bronze artificial, o primeiro "cara de pau" estava saindo da estufa... muito bacana isso!

Hugo disse...

Alexandre - Como escrevi na postagem, não gostei do exagero nas cenas de ação. O seriado era mais divertido mesmo com uma produção bem simples.

Abraço

Cristhiano de araujo disse...

Achei essa adaptação bem bacana, o humor está lá, as cenas de ação, participação especial relâmpago dos atores da série, sinceramente acho que merecia uma sequência e não acho que seja tão decepcionante como abordado no texto, realmente o objetivo é agradar a geração atual, mas existem várias adaptações de séries que seguem pela mesma linha, Missão Impossível, Agente 86, O Fugitivo, Família Adams, As Panteras e outros, um exemplo sem ser de série de modificações e´o novo 007 que rompeu com paradigmas clássicos de James Bond...

Hugo disse...

Christiano - Algumas adaptações que você citou como "O Fugitivo", "Missão Impossível" e "A Família Adams" resultaram em bons filmes. Já "O Esquadrão Classe A" e por exemplo "As Panteras" pecam pelo exagero, isso para meu gosto.

Abraço