terça-feira, 12 de abril de 2011

Sangue Negro


Sangue Negro (There Will Be Blood, EUA, 2007) – Nota 8
Direção – Paul Thomas Anderson
Elenco – Daniel Day Lewis, Paul Dano, Ciaran Hinds, Kevin J. O’Connor, Dillon Freasier.

No virada do século XIX para o XX, Daniel Plainview (Daniel Day Lewis) é um minerador em busca de fortuna. Quando ele é procurado por Paul Sunday (Paul Dano) com a proposta para perfurar terras num local chamado Little Boston, onde o pai de Paul e outros pequenos fazendeiros vivem em cima de uma jazida de petróleo, Daniel vê a chance de enriquecer. 

Levando a tiracolo seu filho pequeno H. W. (Dillon Freasier), Daniel consegue arrendar as terras de quase todos os fazendeiros do local dando um grande passo para se tornar milionário, porém com seu jeito bruto e ganancioso, terá de enfrentar diversos obstáculos, entre eles um conflito com o pastor Eli Sunday (também interpretado por Paul Dano), irmão gêmeo de Paul que comanda a pequena Igreja da Terceira Revolução. 

Um dos grandes destaques é a interpretação vencedora do Oscar de Daniel Day Lewis, que sempre cria personagens memoráveis, mas aqui praticamente segura o filme sozinho nas mais de duas horas e meia de duração. Por mais que as atuações de Paul Dano, principalmente como o pastor e a pequena mais importante participação de Kevin J. O’Connor tenham qualidade, Day Lewis está sensacional como o sujeito inteligente, duro, desconfiado, ganancioso e cruel, que tem como único objetivo enriquecer. 

Outro destaque é a bela fotografia, que tem um grande momento quando umas das torres de perfuração explode, jorrando petróleo e pegando fogo ao mesmo tempo. O roteiro ainda toca em temas como religião, família e até sobre a Crise da Bolsa de Valores Americana em 1929, que se casa perfeitamente com a sequência final do longa. 

O cinema de Paul Thomas Anderson é algo complexo, sem respostas fáceis, onde o espectador precisa prestar atenção aos detalhes dos personagens e o mundo em que eles vivem para compreender toda história.

9 comentários:

Gabriel disse...

Li um texto sobre Sangue Negro esses dias e comento quase o mesmo: Daniel Day-Lewis rouba a cena. E eu gosto bastante de Sangue Negro pela linguagem metafórica que ele utiliza perfeitamente nas diversas cenas, nada de se esperar menos do mesmo diretor de Magnólia.
Abraços.

! Marcelo Cândido ! disse...

Show de filme apesar de sua lentidão!

Celo Silva disse...

Excelente filme, um dos melhores de P.T. Anderson. Obra prima.
Grande Abraço

Rafael W. disse...

Obra-prima esse filme. P.T. Anderson é um diretor maravilhoso, e Daniel Day-Lewis está fantástico aqui.

http://cinelupinha.blogspot.com/

André Sousa disse...

Um dos melhores filmes da ultima década.

Abç

Jenifer Torres disse...

Atuação antológica de Daniel Day-Lewis.
Abração.

diego disse...

É sem duvidas uma obra-prima, e um dos personagens mais bem construidos e interpretados (primorosamente por Day-Lewis) dos ultimos tempos..! Palmas para P.T. Anderson!

Hugo disse...

A todos - Fica claro que além da ótima direção de Paul Thomas Anderson, o grande trunfo do longa é a magnífica interpretação de Daniel Day Lewis.

Abraço a todos

Rodrigo disse...

Obra-prima. PTA é fantástico, e aqui atinge seu maior trabalho. Lewis arrebata. Abraços.