domingo, 10 de abril de 2011

Rede de Intrigas - O Adeus a Sidney Lumet


Rede de Intrigas (Network, EUA, 1976) – Nota 8
Direção – Sidney Lumet
Elenco – William Holden, Faye Dunaway, Peter Finch, Robert Duvall, Ned Beatty, Wesley Addy, Beatrice Straight.

Neste final de semana o cinema perdeu o grande diretor Sidney Lumet aos oitenta e seis anos. A carreira de Lumet começou na tv americana nos anos cinquenta dirigindo seriados, tendo ficado conhecido com o grande drama "12 Homens e uma Sentença" de 1957 e famoso nos anos sessenta à partir de trabalhos como "A Longa Jornada Noite Adentro", "O Homem do Prego" e "Limite de Segurança". 

Com as mudanças em Hollywood nos anos setenta, quando o cinema abriu as portas para novos cineastas que filmavam em locação e com história bem próximas da realidade, Lumet emplacou alguns clássicos como "Um Dia de Cão", "Serpico" e este "Rede de Intrigas". Em seguida Lumet não mais parou e lançou filmes em média a cada dois anos, com alguns trabalhos irregulares, mas nada que deixasse alguma mancha em sua carreira. Seu último trabalho foi o bom drama "Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto", produzido em 2007.

Neste "Rede de Intrigas", Howard Beale (Peter Finch) é o veterano âncora de um canal de tv que com a chegada de novos executivos (Faye Dunaway e Robert Duvall) será substituído em virtude da baixa audiência. No seu último jornal, Howard fala ao vivo que será demitido e que irá cometer suicídio. O diretor do programa, Max Schumacher (William Holden) que também é seu amigo, após o programa tenta acalmar o sujeito e demovê-lo da idéia. 

A situação muda completamente quando a dupla de executivos percebe que a audiência cresceu com o pronunciamente maluco de Howard e o convida para continuar no programa com carta branca para falar o que quiser. Howard aceita e se torna uma espécie de profeta do caos, que fala verdades escondidas atacando a tudo e a todos, principalmente a própria as mentiras mostradas na tv. Quando Howard começa a atacar pessoas poderosas e se torna um problema para os executivos, estes percebem que precisam deter o sujeito. 

Este é provavelmente o melhor filme feito sobre os bastidores da tv, mostrando que há trinta e cinco a preocupação dos executivos de tv era a mesma que hoje, aumentar a audiência a qualquer custo, não se importando com a qualidade do que é mostrado ao espectador. 

O personagem de Peter Finch é uma mistura dos diversos apresentadores sensacionalistas que vemos hoje em dia, com a diferença de que ele acredita que no que fala e com isso acaba atravessando a linha imaginária do aceitável pelos executivos de tv. 

O filme concorreu a dez prêmios Oscar e venceu quatro, com Peter Finch, Faye Dunaway e Beatrice Straight, além do prêmio de roteiro original. O elenco ainda teve William Holden e Ned Beatty indicados, além da direção de Sidney Lumet. Como curiosidade, Peter Finch faleceu em janeiro de 1977 e foi premiado com o Oscar após sua morte. 

É um grande filme, um crítica dura contra a manipulação dos fatos promovida para tv, sempre com o intuito de obter audiência e de favorecer os poderosos. 

5 comentários:

Alan Raspante disse...

Não imaginava que o filme era sobre bastidores da tv. Me ocorria outras coisas quando via esse título. Vou ver o quanto antes!

Hugo disse...

Alan - Existe um outro "Rede de Intrigas" que é um suspense com Cuba Gooding Jr, que nada tem de ligação com este clássico.

Abraço

diego disse...

Uma critica visceral ao modo de se fazer TV, um obra-prima inquestionavel!!

é uma perda realmente consideravel!!!

Luís disse...

Trata-se de um dos melhores filmes já produzidos! Direção impecável, atuações magníficas - em especial as de Faye Dunaway e Beatrice Straight - e uma das melhores críticas à alienação provocada pela TV.

"Tudo que você sabem vem daquele tubo preto".

Hugo disse...

Luís - Sem dúvida, o filme parece um prenúncio de como a televisão ficaria ainda pior na questão de manipulação.

Abraço