sexta-feira, 8 de abril de 2011

Insônia (1997 e 2002)



Insônia (Insomnia, Noruega, 1997) – Nota 7,5
Direção – Erik Skjoldberg
Elenco – Stellan Skarsgard, Sverre Anker Ousdal, Thor Michael Aamodt, Gisken Armand, Bjorn Floberg.

Uma jovem adolescente é assassinada no interior da Noruega e dois detetives da capital são encarregados de viajar ao local para investigar. Ao perseguirem um suspeito no meio de um nevoeiro, Jonas Engstrom (Stellan Skarsgard) mata por acidente seu parceiro com um tiro e desesperado resolve tentar encobrir o fato, primeiro alegando que o suspeito é quem atirou e depois conforme a situação vai evoluindo, Jonas inventa novas mentiras até que é interpelado pelo criminoso, que diz ter visto Jonas atirar no parceiro. Envolvido numa teia de mentiras, sendo manipulado pelo criminoso e ainda sofrendo de insônia, Jonas a cada dia se vê mais perdido e sem saída da terrível situação em que se meteu. 

Este interessante drama nórdico tem na interpretação do ótimo Stellan Skarsgard um de seus pontos altos, ele praticamente carrega sozinho o filme, que utiliza a questão geográfica do dia interminável naquela região, para criar a insônia que o personagem sofre, junto com sua consciência pesada e a pressão para resolver dois crimes, sendo um que ele mesmo comentou. A refilmagem de Christopher Nolan é ainda melhor, principalmente em relação ao elenco.

Insônia (Insomnia, EUA, 2002) – Nota 8
Direção – Christopher Nolan
Elenco – Al Pacino, Robin Williams, Hilary Swank, Martin Donovan, Maura Tierney, Nicky Katt, Paul Dooley.

Os policiais Will Dormer (Al Pacino) e Hap Eckhart (Martin Donovan) são enviados para investigar o assassinato de uma adolescente no Alasca. Durante uma perseguição na névoa, Will se confunde e acaba matando o parceiro com um tiro, deixando o suspeito escapar. Mesmo sentindo-se culpado, Will deixa que a policia local acredite que o assassinato tenha sido obra do suspeito, porém a situação se complica quando ele é abordado por um sujeito, Walter Finch (Robin Williams) que diz ter visto Will atirar no parceiro. Além disso, a policial local Ellie Burr (Hilary Swannk) começa a investigar por conta própria e Will não consegue dormir, pois na época a região tem claridade durante as vinte quatro horas do dia, o que acaba atrapalhando ainda mais a cabeça do sujeito. 

Este refilmagem do longa norueguês de 1997 é superior principalmente pelo elenco mais qualificado e pela teia de mentiras que se cria entre os personagens. A interpretação de Pacino também é muito boa, ao criar um sujeito consumido pelo remorso, mas que não tem coragem de assumir a culpa e praticamente vai enlouquecendo a cada dia sem dormir. Apesar de não ser o melhor de Nolan, é um ótimo suspense policial que prende atenção do espectador.


8 comentários:

! Marcelo Cândido ! disse...

É um filme bom e basta !

Luís Azevedo disse...

Apesar de ser um bom filme, é de longe o pior de Nolan. Fica muito aquém do Memento!
Cumps!

Amanda Aouad disse...

É, não vi o original, mas o de Nolan me satisfez, um bom filme sim.

bjs

Rodrigo Mendes disse...

Ambas as fitas são ótimas. Mas acho que o filme do Nolan tem mais ritmo.

ótimas análises. Abs.
RODRIGO

Rodrigo disse...

Nem sabia que era uma refilmagem, mas fico com o Luís Azevedo: é de longe o pior de Nolan. Abraços.

Hugo disse...

Marcelo - Os dois são bons filmes.

Luís - Tb considero "Amnésia" um filme superior.

Amanda - Nolan é sinônimo de filmes com bons.

Rodrigo - A versão nórdica é mais fria e tem coadjuvantes mais fracos.

Rodrigo Mendes - Não diria o pior, talvez não seja ótimo como seus outros trabalhos.

Abraço a todos

Juliana Ferreira disse...

OI. Adorei o blog. é disto que precisamos em Portugal.
Se quiseres, passa pelo meu. Estou a oferecer dvd's originais todos os meses.

http://cinemofilia.blogspot.com/

Continua o bom trabalho.

Hugo disse...

Juliana - Obrigado pela visita, em seguida irei conhecer seu blog.

Até mais