sábado, 12 de fevereiro de 2011

A Marca da Maldade


A Marca da Maldade (Touch of Evil, EUA, 1958) – Nota 8,5
Direção – Orson Welles
Elenco – Charlton Heston, Janet Leigh, Orson Welles, Joseph Calleia, Akim Tamiroff, Joanna Moore, Ray Collins, Dennis Weaver, Valentin de Vargas.

Esta grande obra de Orson Welles começa com um sensacional plano seqüência que mostra o policial mexicano Vargas (Charlton Heston) atravessando a fronteira para os EUA com sua esposa americana Susan (Janet Leigh), ao mesmo tempo em que um carro com uma figura famosa da região passa ao seu lado com um bomba, até que em certo momento ela é detonada. O atentado dá  início a uma investigação que mexerá com figuras poderosas e gente do submundo, além de colocar o preconceito racial como um dos temas principais. 

O honesto policial Vargas será convidado a acompanhar o caso, porém farão de tudo para deixá-lo de mãos atadas em virtude dele ser mexicano, principalmente nas atitudes do Capitão Hank Quinlan (um obeso e soturno Orson Welles) que considera ser intocável em virtude do seu cargo e por este motivo também superior aos mexicanos. A questão é que ao longo da história toda a sujeira que envolvem os personagens virá a tona. 

Sem dúvida uma das grandes obras Welles, que mostra a ambigüidade de seus personagens e até mesmo daqueles que sabendo o mal que estão causando, querem acreditar que estão agindo corretamente. 

Na época do lançamento, Welles brigou com o estúdio que cortou algumas cenas das versão lançada nos cinemas, mas mesmo assim a obra se tornou um clássico.

3 comentários:

Amanda Aouad disse...

Grande obra mesmo, só o plano sequência incial já vale os aplausos. A briga de Orson Welles com o estúdio também foi clássica mesmo.

bjs

Dezito (André Sousa) disse...

Este é melhor que o Citizen Kane. Grande filme ! Uma correcção: o filme é de 1958 ;)

Abraço

Hugo disse...

Amanda - Welles em várias ocasiões entrou em conflito com produtores.

André - Valeu pelo aviso, digitei errado e já corrigi o ano.

Abraço