segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Campo dos Sonhos


Campo dos Sonhos (Field of Dreams, EUA, 1989) – Nota 8
Direção – Phil Alden Robinson
Elenco – Kevin Costner, Amy Madigan, Gaby Hoffman, Ray Liotta, James Earl Jones, Burt Lancaster, Timothy Busfield, Frank Whaley, Dwier Brown.

Há poucos dias escrevi sobre astros que estão acima dos setenta anos e tinha certeza que ainda existiam diversos outros atores nesta faixa etária ainda na ativa. Descobri que hoje o eterno coadjuvante James Earl Jones faz oitenta anos. Jones nunca chegou a ser astro, mas participou de dezenas de grandes produções, além de estar eternizado por criar a voz de Darth Vader. 

Aqui eu escrevo sobre um longa que fez sucesso no final dos anos oitenta e tem James Earl Jones num de seus melhores papéis, como um escritor recluso.

Ray Kinsella (Kevin Costner) e sua esposa Annie (Amy Madigan) vivem numa fazenda em Iowa com a filha pequena Karin (Gabi Hoffmann). Levam uma vida tranqüila baseada na agricultura de milho, até que num certo dia, Ray ouve uma voz dizendo “se construir, ele virá”. A voz surge outras vezes, até que Ray tem uma visão: O milharal se transforma num campo de beisebol. Rapidamente Ray liga as vozes a seu pai que era apaixonado pelo esporte e passa a acreditar que se construir o campo, o antigo ídolo de seu pai, “Shoeless“ Joe Jackson (Ray Liotta) aparecerá no local. A voz ainda fará Ray procurar o médico Archibald Graham (Burt Lancaster) e o escritor Terence Mann (James Earl Jones) para acertar fatos pendentes do passado. 

Este sensível drama sobre beisebol, família e sonhos é o melhor filme da carreira do diretor e roteirista Phil Alden Robinson (“Quebra de Sigilo”, “A Soma de Todos os Medos), que acerta ao adaptar o livro de J. P. Kinsella, que misturou realidade e ficção para contar esta bela história. 

O personagem “Shoeless” Joe Jackson é real e já foi mostrado no longa “Fora da Jogada” de John Sayles, que conta a história de um grupo de jogadores banidos do esporte por suborno em 1919 e Jackson era um deles. Neste filme o personagem foi interpretado por D. B. Sweeney. O personagem do médico feito por Burt Lancaster também é verdadeiro e por sinal este foi o último trabalho do astro para o cinema. Já o personagem do escritor de James Earl Jones é fictício, porém baseado em J. D. Salinger, que escreveu o clássico da literatura americana “O Apanhador no Campo de Centeio”. 

Por final, o longa apesar de um pouco esquecido hoje em dia, é um dos grandes trabalhos de Kevin Costner, que cria um personagem extremamente humano, daqueles que jamais desistem do sonho.

6 comentários:

Silvia Freitas disse...

Olá! Tem a indicação de um selinho de qualidade para o seu blog no Na Manha do Gato. Passa lá pra pegar! Bjs, Silvia

Dan disse...

Oi Hugo,

Bela lembrança, gosto muito deste filme. Sensível e bonito. Tenho em minha devetecas particular.

Abraços

Ju B. disse...

Infelizmente ainda não conheço esse filme, mas assistirei com certeza, obrigada pela dica. ^^
Conto com sua visita no meu blog recém-estreado:

http://moviewalk.blogspot.com/
Bjs.

Amanda Aouad disse...

"Construa que eles virão". Clássico. Adoro esse filme, e James Earl Jones está ótimo mesmo como o escritor e ex-jogador de beisebol.

bjs

KA disse...

Eu adoro este filme. Construa e ele virá...são as inspirações do cinema para nossa vida. Mesmo pura ficção, trazem boas energias.
Não sabia que o jogador existiu.
Grande filme!
Abs

Hugo disse...

Silvia - Obrigado, visitarei seu blog para pegar o selo.

Dan - É um bom filme para ter na coleção.

Ju - Vou conhecer seu blog, obrigado pela visita.

Amanda - É um filme que marcou.

Ka - É o tipo de filme que faz bem para alma.

abraço a todos