quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Você Confia no Próximo?



Peço desculpas aos leitores do blog por hoje utilizar este espaço para escrever algo diferente de cinema.  

Conforme ficamos mais velhos, vamos nos deparando com situações semelhantes a que já vivemos e que na maioria das vezes mostra como o ser humano não é confiável. Não tenho como comparar com outros países, pois passei toda minha no Brasil, mas a cada dia percebo como está difícil viver por aqui, a quantidade de pessoas e empresas que vêem o próximo apenas como uma chance de lucrar é cada vez maior, estamos vivendo num local onde levar vantagem é o objetivo, vivemos sob a famosa “Lei de Gerson”.

Quando era criança ouvia que os golpes mais comuns eram aqueles perpetrados nas ruas, como a história do bilhete premiado, o jogo de bolinhas escondidas ou a venda do relógio falsificado. Hoje a história mudou e infelizmente temos de ficar espertos permanentemente, com a internet o número de golpes aumentou e muito. Qualquer um dentro de sua própria casa pode acabar sendo lesado, são cartões clonados, vírus enviados por e-mail, páginas falsas de bancos, entre diversos outros tipos.

Estas situações que citei são fora da lei, o conhecido estelionato, o pior são as situações legalizadas que na verdade são arapucas. Tenho certeza que todos que estão lendo aqui recebem quase que diariamente telefonemas de empresas de telemarketing tentando vender algum produto, são bancos oferecendo cartões, tv por assinatura, assinatura de jornais, venda de imóveis e até jazigos de cemitério. Os funcionários destas empresas ganham comissões por venda e tentam empurrar de tudo para o cliente, sempre utilizando a tática da venda no susto, onde o cliente não tem tempo de pensar e muitas vezes aceita algo que terá de pagar caro, sem o retorno garantido e quase que com certeza sem saber das reais condições do negócio. Estamos numa época onde a palavra não vale nada, qualquer negócio deve ser documentado  e mesmo assim corre-se o risco do prejuízo e da dor da cabeça posterior.

Outro problema atual é o crédito, que ao mesmo tempo que ajuda a economia a crescer, a forma que existe hoje é uma vergonha, principalmente pelos juros exorbitantes cobrados por bancos, financeiras e lojas. Enquanto o rendimento de uma conta poupança está em 0,5% ao mês, uma aplicação simples em torno de 1% e a inflação anual em 5%, estas instituições cobram taxas de até 10% em cartões de crédito e limites de conta. Outro absurdo é que as lojas possam além de emitir o cartão de crédito ainda emprestar dinheiro ao cliente com estas taxas absurdas, são verdadeiros agiotas legalizados. Uma loja tem a finalidade de venda de produtos, não empréstimo de dinheiro, mas como aqui é Brasil, vale tudo.


Eu poderia enumerar diversas situações em que tive de ser duro para não ser prejudicado e sei como isso cansa e irrita profundamente. É triste, mas criei alguns procedimentos básicos para diminuir as dores de cabeça.


1º - Enquanto puder não usarei cartão de crédito, não tento viver como monge, mas sempre procurei planejar o que comprar e se pensarmos bem não precisamos de tanto para viver bem.

2º - Dispense toda ligação que receber de alguma empresa de telemarketing oferecendo algum produto ou serviço. Mesmo que seja algo que você tenha interesse, não aceite, faça primeiro uma pesquisa sobre o produto ou serviço e se confirmar o interesse, entre em contato direto com a empresa.

3º - Em qualquer negociação, seja compra de produtos, serviço, apenas um pedido ou negociação de taxas e datas para pagamento, anote bem o nome da pessoa com quem conversou, a data do negócio e exija algum documento explicando detalhadamente o que foi acordado. Não acredite na palavra, como escrevi anteriormente, hoje em dia ela não vale nada.

4º - Não assine papel algum sem ler o total conteúdo do texto e se tiver alguma dúvida mostre primeiro para alguém que entenda do assunto, seja um advogado ou um profissional que conheça a área do referido serviço ou produto. Tome cuidado com vendedores e corretores principalmente, não podemos generalizar, mas a grande maioria quer apenas fechar a venda ou no mínimo amarrar o cliente para ganhar a comissão sobre a entrada paga. Muitos dizem que o negócio poderá ser desfeito, mas pode ter certeza que não será nada fácil.

5º - Em qualquer tipo de compra ou negociação, pesquise a idoneidade da empresa. Até alguns anos não era muito fácil, as pessoas escolhiam apenas pelo nome da empresa ser conhecida, porém hoje em dia existem diversos mecanismos de pesquisa.  A indicação pode ser útil quando for de alguma pessoa próxima e de confiança, mesmo assim ainda existe o risco do problema, nem sempre o que é bom para um agrada o outro. Outros dois métodos simples, fundamentais e ao alcance de todos são dois sites onde você verifica a quantidade de reclamações e se a empresa respondeu e resolveu a questão. Temos o Procon onde você pesquisa sobre a empresa e se quiser reclamar posteriormente precisará se dirigir pessoalmente a um posto de serviço. O segundo que é ainda mais fácil, completo e a chance da resposta ser bem rápida é grande, chama-se “Reclame Aqui”. Além de analisar a empresa por ranking de reclamações e pelo ramo de atuação, você verá a quantidade de reclamações, as explicações da empresa e a solução ou não do problema. É uma ferramenta simples e eficaz para conhecer com quem estamos negociando.



Infelizmente estes tipos de situação que descrevi, entre outras também nada agradáveis, aparecem em nossas vidas muitas vezes quando menos esperamos. O intuito desta postagem é alertar aos amigos do blog e conhecer a opinião de vocês a respeito deste assunto.


6 comentários:

Silvia Freitas disse...

Não é nada fácil viver nesse mundo de hj, onde muitos querem ser os espertos, os malandros, e acham que isso é o que fazem serem os "bons". Infelizmente falo isso não só por golpes que vemos em coisas materiais, mas no dia-a-dia tbm tem muito esperto para nos tentar derrubar, como no trabalho, por exemplo.Um quer ser sempre mais esperto que o outro, e não mede esforços pra te "puxar o tapete". Mas devemos sim ficar atentos, golpistas estão por todos os lados, e do jeito que a coisa vai, um pouquinho de maior atenção vale a pena pra não termos dores de cabeça depois. Boas dicas Hugo.

Amanda Aouad disse...

É triste mesmo, Hugo. Sempre bom dar dicas e alertar os outros. A lei da vantagem é absurda, mas muito usada no Brasil, infelizmente, as pessoas só pensam em cumprir metas. Outro dia uma amiga me contou que foi ao banco para negociar um limite do cartão e acabou comprando por indução da gerente um seguro que o tipo de conta dela já assegurava. Um horror.

abraços

alan raspante. disse...

Cara, meu pai sempre se metia nessas enrrascadas e talvez pos isso, faça de tudo e corre dessas coisas. Não tenho cartão e sempre dispenso as moças do telemarketing. Enfim,msmo assim não estamos livres, rs

Hugo disse...

Silvia - Meu texto contém apenas alguns exemplos do que acontece normalmente. Dentro de uma empresa este tipo de atitude acontece diariamente. Trabalhei em algumas empresas e vi que esta disputa está cada vez pior, muitos jovens já entram no primeiro emprego com o objetivo de subir rapidamente, não importando de qual forma.

Amanda - Esta história de cumprir metas é um dos legados corporativas que copiamos do capitalismo americano e esta fato junto com a malandragem brasileira, gera esses absurdos.

Alan - Muitas pessoas são vítimas destas situações. Idosos, pessoas inocentes que acreditam na palavra de terceiros e outras que tem dificuldade ao acesso das informações ou ainda as que não procuram as informações.

Abraço a todos

Sebo disse...

Eu corro deste tipo de situação, que é bem desagradável e difícil de se sair depois que entra.

[]'s

Hugo disse...

Sebo - O negócio é passar longe destas arapucas.

Abraço