quinta-feira, 8 de julho de 2010

Um Craque Chamado Divino

Um Craque Chamado Divino (Brasil, 2006) – Nota 8
Direção – Penna Filho

Aproveitando que amanhã o Palmeiras fará o jogo de despedida do seu estádio num amistoso contra o Boca Juniors e a princípio nós torcedores teremos de esperar dois anos pela moderna arena que foi planejada, resolvi escrever sobre o maior jogador da história do clube. Este documentário é uma homenagem a Ademir da Guia, o “Divino”, que chegou ao Palmeiras ainda garoto em 1961 e jogou até 1977, sendo o atleta com maior número de partidas pelo clube, foram 901 jogos e 153 gols marcados, sendo o terceiro artilheiro da história do verdão.

O diretor Penna Filho se baseou na biografia de Ademir escrita por Kleber Mazziero e inicia mostrando a vida de Domingos da Guia e seus irmãos. Domngos é o pai de Ademir e foi um dos grandes craques da história do futebol brasileiro nos anos trinta e jogou junto com os irmãos no Bangu, antes de fazer fama e fortuna jogando em outros clubes do país, além do Nacional do Uruguai e do Boca Juniors. Domingos era conhecido como o “Divino Mestre”, pela elegância do jogo, mesmo ele sendo zagueiro e Ademir herdou o apelido também por sua elegância e qualidade técnica.

No documentário descobrimos que na adolescência Ademir foi campeão de natação pelo Bangu e chegou a pensar em seguir carreira, mas acabou continuando apenas no futebol, iniciando sua trajetória no mesmo Bangu, antes de chegar ao Palmeiras. Toda a sua carreira no Palmeiras é mostrada, desde a desconfiança de muitos com sua chegada, na época era apenas o o filho de Domingos da Guia, até se tornar titular, virar unânimidade e nunca mais sair do time. Veremos ainda a dupla maravilhosa que fez no meio campo com Dudu, com quem com jogou de 1964 a 1976, com os dois participando das duas “academias”, a dos anos sessenta, que ganhou vários títulos de 1965 a 1968 e depois no novo time dos anos setenta, que dominou o futebol brasileiro entre 1971 e 1975.

Sou da geração que sofreu com a falta de títulos dos anos oitenta, vibrou com as vitórias nos anos noventa e hoje sofre novamente com as dificuldades, com isso não vi Ademir jogar ao vivo, assisti apenas lances como os mostrados aqui, mas isso já é o suficiente para ver a importância do ídolo na história do clube.

É um documentário obrigatório para os palmeirenses conhecerem um pouco mais da carreira e da vida deste craque que se confunde com a história do clube e faz parte de um grupo de imortais, como Marcos, Dudu, César Maluco, Oberdan Cattani, Evair, Valdir Joaquim de Moraes, Jair Rosa Pinto, entre tantos outros que honraram nosso manto sagrado.

6 comentários:

Dan disse...

Oi Hugo,

Acredito que é um documentário, não só para os palmeirenses, mas para todos que amam o futebol. Quando eu era pequeno, morava perto do Parque - Antartica e sempre que podia ia prá lá ver esse grande jogador.

Abraços

CINECLUBE01 disse...

Ahhh que fantástico! Sou palmeirense também, e não sabia da existencia desse documentário. Com certeza irei procurá-lo. Pena que nóes não conseguimos ganhar o amistoso hoje ;/

Comenta lá ;D

http://cineclube01.blogspot.com/

Kahlil Affonso disse...

Nao conheço.

http://mini-critic.blogspot.com/

Hugo disse...

Dan - Eu não tive o prazer de ver Ademir jogar ao vivo, mas os lances que passam na tv já demonstram todo o talento do craque.

Cineclube - Procure assistir, o documentário mostra uma boa parte da história do nosso clube.

Kahlil - Valeu.

Abraço a todos

Tiago Britto disse...

Este é um documentário perfeito, sobre o maior jogador da história do Palmeiras!

VIVA AO DIVINO!

Hugo disse...

Tiago - O cara foi o maior da nossa história.

Abraço