quarta-feira, 7 de julho de 2010

O Incrível Hulk

O Incrível Hulk (The Incredible Hulk, EUA, 2008) – Nota 7
Direção – Louis Leterrier
Elenco – Edward Norton, Tim Roth, Liv Tyler, William Hurt, Tim Blake Nelson, Ty Burrell, Lou Ferrigno, Stan Lee, Robert Downey Jr.

Após uma experiência mal sucedida com raios gama, o cientista Bruce Banner (Edward Norton) se transforma num monstro verde, destrói o laboratório e foge. Algum tempo depois ele é localizado morando na favela da Rocinha e o exército americano liderado pelo General Ross (William Hurt) envia um comando a sua procura, mas mesmo assim Bruce escapa novamente e volta para os EUA com dois objetivos: Procurar a cura para sua condição e reencontrar sua amada Betty Ross (Liv Tyler), filha do general. Para tentar detê-lo, o general criará um oponente a altura, após injetar uma substância em Emil Blonski (Tim Roth), este se mostrará totalmente fora do controle.

Após o fracasso de bilheteria do filme Ang Lee, a Marvel resolveu recriar o personagem com uma equipe totalmente nova e se não foi perfeito, pelo menos se mostrou competente nas cenas de ação, o que faltou no filme anterior. A nova versão tem uma meia hora inicial muito boa, mostrando a vida do personagem Bruce Banner na favela da Rocinha e terminando numa perseguição muito bem filmada pelo local. O desenrolar da história é contado sem surpresas e para meu gosto, a luta final entre Hulk e a criatura vivida por Tim Roth é puro videogame, feito para platéia jovem que adora CGI e lutas espetaculares. Eu com certeza considero mais interessante a perseguição inicial pela favela, que comprova não ser necessário um caminhão de efeitos especiais para criar cenas de ação competentes, mas sim bons atores e muita criatividade.

Para os fãs de quadrinhos, a pequena participação de Robert Downey Jr como Tony Stark / Homem de Ferro no final do longa, abre margem para um filme que pode reunir vários heróis da Marvel.

8 comentários:

Rof disse...

Gosto muito desse filme. Não apenas por ser obra de um grande Diretor, mas poruqe nos surpreendeu positivamente por mostrar um novo angulo sobre essas histórias baseadas em quadrinhos. Menos ação. Maior profundidade.
Resultado: o filme foi regeitado por muitos e até hoje é apontado como um dos piores filmes do gênero. Uma pena.
Acho que com o passar do tempo as pessoas darão mais valor. É um filme pra assistir várias vezes e refletir cada vez mais.

Marcio Melo disse...

Eu sou um dos chatos que, apesar de ter gostado e achado este Hulk legal, ainda prefere muito mais o de Ang Lee.

Nekas disse...

Eu prefiro este ao de Ang Lee.


Abraço
Cinema as my World

Rodrigo Mendes disse...

Aqui o diretor Leterrier apertou mais os parafusos e fez um filme melhor. Apesar de não ser fã do personagem. Este supera na média a bomba feita por Ang Lee.

Mas este ano Leterrier me decepcionou com Fúria de Titans.
Péssimo ainda mais em 3D!

Abs,
Rodrigo

Amanda Aouad disse...

Confesso que depois do filme de Ang Lee nem tive coragem de conferir esse. Aliás, Hulk nunca foi dos quadrinhos que mais me agradam.

Mateus Souza disse...

Tenho a mesma opinião a respeito dos dois Hulks: são filmes legais, mas que nunca empolgam.

Mari Figueiredo (Camera Cine) disse...

Hulk não é um dos meus favorios
gosto do homem aranha e superman!
=p

Hugo disse...

William - A maioria das pessoas não gostou da versão de Ang Lee. O publico que gosta do gênero procurar ação.

Marcio - Gosto dos filmes de Ang Lee, mas o Hulk feito por ele é mais fraco que este, mesmo esta nova versão não sendo um grande filme.

Nekas - Eu também.

Rodrigo - Ainda não assisti "Fúria de Titãs", mas é bem claro que o negócio de Louis Leterrier são apenas as cenas de ação. Veja a série "Carga Explosiva".

Amanda - Não sou fã de quadrinhos, mas esta nova versão não ofende nossa inteligência.

Mateus - É mais ou menos isso, este um pouco melhor, mas nada de mais.

Mari - Os filmes do "Homem Aranha" são bem melhores, mas a nova versão do "Superman" é bem fraca. O original é muito melhor.

Abraço a todos