quinta-feira, 29 de julho de 2010

Bombas - Comédias de Poucas Risadas

Voltando a escrever sobre bombas cinematográficas, desta vez estou postando a resenha de algumas comédias que não cumprem o que gênero exige, fazer o espectador rir. Boa parte desta lista são filmes que passaram diversas vezes na sessões da tarde da Globo e do SBT.

Loucademia de Trânsito (Crash Course, EUA, 1988) – Nota 2
Direção – Oz Scott
Elenco – Brian Bloom, Charlie Robinson, Harvey Korman, Dick Butkus, Ray Walston, Alyssa Milano, Olivia d’Abo, B. D. Wong.
O sucesso de “Loucademia de Polícia” fez com que os outras comédias fossem traduzidas desta forma, mudando apenas o local da confusão. Neste caso a bagunça acontece quando um instrutor de auto-escola precisa ensinar um grupo de jovens colegiais. Besteirol ao estilo anos oitenta, porém com pouca graça. O destaque são as presenças da bela Alyssa Milano e B. D. Wong ainda bem jovens, além do veterano e hoje falecido Ray Walston fazendo um papel de professor.

Loucademia Funerária (Mortuary Academy, EUA, 1988) – Nota 3
Direção – Michael Schroeder
Elenco – Paul Bartel, Mary Woronov, Christopher Atkins, Perry Lang, Lynn Danielson, Tracey Walter, Cesar Romero.
Nesta outra comédia filhote de “Loucademia de Polícia”, dois irmãos herdam uma funerária e precisam se formar em um curso de agente funerário para ser tornarem donos do local. O problema é a maluca dupla de professores, vivido pelo casal Paul Bartel e Mary Woronov, que eram casados na vida real. O longa é ruim, mas tem algumas curiosidades no elenco. Paul Bartel escreveu o roteiro deste filme e dirigiu algumas comédias que se tornaram cult, como o original “Ano 2000 – Corrida da Morte” e “A Louca Corrida do Ouro’, sempre com Woronov no elenco. Christopher Atkins é o garoto de “A Lagoa Azul”, que não conseguiu decolar na carreira. O filme ainda tem uma pequena participação de Cesar Romero, o Coringa da série clássica “Batman”.

Um Lobo na Família (Walk Like a Man, EUA, 1987) – Nota 3
Direção – Melvin Frank
Elenco – Howie Mandel, Christopher Lloyd, Cloris Leachman, Colleen Camp, Amy Steel, Stephen Elliott, George DiCenzo.
Copiando parte da história original de Tarzan, os produtores tentaram transformar o comediante Howie Mandel em astro do gênero e falharam. Howie é Bobo Shand, que quando bebê foi perdido na floresta e acabou sendo criado por lobos até que sua família o encontrou e ele se tornou herdeiro de uma fortuna. Atualizado para os dias atuais, o estranho personagem de Howie lembra os papéis de Rob Schneider. Como curiosidade, Howie Mandel ficou famoso, porém como apresentador de talk-show.

Mestres da Desordem (Masters of Menace, EUA, 1990) – Nota 3
Direção – Daniel Raskov
Elenco – David Rasche, Catherine Bach, James Belushi, John Candy, Dan Aykroyd.
Na época o ator David Rasche era conhecido pela série “Sledge Hammer”, por aqui chamada “Na Mira do Tira” e estrelou está comédia sobre um advogado de um grupo de motoqueiros que se mete em várias confusões. O único detalhe interessante são as pequenas participações de comediantes famosos como James Belushi, John Candy e Dan Aykroyd, que ao consta eram amigos do diretor.

Hamburguer, o Filme (Hamburger: The Motion Picture, EUA, 1986) – Nota 2
Direção – Mike Marvin
Elenco – Leigh McCloskey, Dick Butkus, Randi Brooks, Chuck McCann.
Um aluno (Leigh McCloskey) que foi expulso de várias universidades, vê sua última chance de ser formar na Universidade Busterburger, especializada em hamburguer. Este filme com um roteiro dos mais estúpidos já filmados, passou diversas vezes nas sessões de cinema do SBT.

Confusões em Beverly Hills (Troop Beverly Hills, EUA, 1989) – Nota 4
Direção – Jeff Kanew
Elenco – Shelley Long, Betty Thomas, Mary Gross, Craig T. Nelson, Audra Lindley, Stephanie Beacham, Carla Gugino.
Um dona de casa rica (Shelley Long) entediada com a vida em Beverly Hills, resolve liderar as Bandeirantes, um grupo de crianças que sua filha participa, para levá-las a um passeio ao centro de Los Angeles, onde o grupo se meterá em grandes confusões. A atriz Shelley Long ficou famosa nos anos oitenta pelo papel de par romântico de Ted Danson na série “Cheers” durante algumas temporadas. Assim que deixou o seriado fez algum sucesso em comédias como “Um Dia a Casa Cai” com Tom Hanks e “Que Sorte Danada”, mas depois sua carreira declinou e ficou relegada a pequenos papéis em filmes e seriados de TV. Por sinal, ela era especialista em interpretar personagens irritantes, provavelmente isso ajudou no declínio da carreira.

Está Sobrando uma Mulher (Hello Again, EUA, 1987) – Nota 5
Direção – Frank Perry
Elenco – Shelley Long, Judith Ivey, Gabriel Byrne, Corbin Bernsen, Sela Ward, Austin Pendleton.
Nesta comédia novamente Shelley Long interpreta uma dona de casa, a certinha Lucy que morre em um trágico acidente e sua irmã Zelda (Judith Ivey) através de bruxaria consegue traze-la de volta. O grande problema é que Lucy encontra seu marido (Corbin Bernsen) casado com sua melhor amiga (Sela Ward). Apesar de algumas cenas engraçadas e o elenco de caras conhecidas, o filme é apenas uma fraca sessão da tarde. 

A Moto Mágica (The Dirty Bike, EUA, 1985) – Nota 4
Direção – Hoite C. Caston
Elenco – Peter Billingsley, Stuart Pankin, Anne Bloom, Patrick Collins.
O garoto Jack (Peter Billingsley) compra uma velha moto e descobre que ela é mágica e começa a usá-la para enfrentar os bandidos e os corruptos da cidade. O garoto Billingsley teve alguma fama nos anos oitenta e hoje se tornou diretor, sendo responsável pelo também fraquinho “Encontro de Casais”.

Um Sequestro Muito Louco (Beverly Hills Brats, EUA, 1989) – Nota 4
Direção – Dimitri Sotorakis
Elenco – Burt Young, Martin Sheen, Peter Billingsley, Ramon Sheen, Terry Moore, Joe Santos.
O garoto Scooter (Peter Billingsley) é filho de uma famoso cirurgião plástico (Martin Sheen), que pensa apenas no trabalho e na esposa, madastra do garoto. Para chamar a atenção, Scooter contrata o velho Clive (Burt Young) para forjar um seqüestro e durante o esconderijo ele acaba criando um laço de amizade com o solitário sujeito. Comédia com pitadas de drama que vale apenas por ter no elenco Burt Young, o eterno Paulie da série “Rocky” e o ótimo Martin Sheen em um papel sem compromisso algum.

Galos de Briga (Bad Guys, EUA, 1986) – Nota 3
Direção – Joel Silberg
Elenco – Adam Baldwin, Mike Jolly, Michelle Nicastro, Ruth Buzzi, Norman Burton.
Dois policiais (Adam Baldwin e Mike Jolly) são expulsos da corporação após uma briga de bar. Tentando ganhar a vida, trabalham em vários lugares sem sucesso, até que uma jornalista (Michelle Nicastro) os convida para se tornarem lutadores. Filme que tenta utilizar o sucesso da Luta-Livre nos EUA como roteiro, mas não funciona em virtude do fraco roteiro e as péssimas piadas. 

7 comentários:

Amanda Aouad disse...

Nossa, estou quase dando graças a Deus por não ter visto nenhum da lista. hehe. Filme de comédia não é meu estilo preferido, se é ruim assim, vou passar longe, por enquanto.

abraços

thicarvalho disse...

Hugo felizmente tb não vi nenhum destes. kkkkkkkkkkkkkk O curioso é saber como bons atores como Burt Young e Martin Sheen participam de projetos assim. Grande abraço e parabpen pelo serviço prestado a sociedade cinéfila. kkkkkkkkk

Saulo S. disse...

Não conheço metade desses filmes que voce citou, e pelo jeito não perco nada em não conhece-los heheh

Abraço
volverumfilme.blogspot

Hugo disse...

Amanda - Comédia é um gênero complicado, o que é engraçado para alguns pode ser chato para outros. Estas que citei são bem fracas.

Thiago - Estou tentando apenas avisar os amigos...rs

Saulo - Pode fugir que não está perdendo nada.

Abraço a todos

Silvia Freitas disse...

Caramba, tbm não me lembro de ver nenhum desses filmes...rsrsrsrs De fato, o filme qdo é dito "comédia" e não faz a gente rir nada, é duro de aguentar. Abraços!

Marcio Melo disse...

Tenha medo viu hahahaha.

Rapaz, "um sequestro muito louco", típico título anos 80 sessão da tarde style

Hugo disse...

Silvia - O triste é que existem muitas comédias não fazem o espectador rir.

Marcio - Este passou diversas vezes na tv aberta.

Abraço