terça-feira, 8 de junho de 2010

Tudo Pode Dar Certo

Tudo Pode Dar Certo (Wathever Works, EUA, 2009) – Nota 7,5
Direção – Woody Allen
Elenco – Larry David, Evan Rachel Wood, Patricia Clarkson, Ed Begley Jr, Henry Cavill, Conleth Hill, Olek Krupa, Jessica Hecht, Carolyn McCormick, Michael McKean.

O ex-professor universitário Boris Yellnikoff (Larry David) é um sujeito que acredita que o ser humano não tem concerto. Por ter um QI elevado ele se acha mais inteligente que todos, dizendo isso a cada conversa, disparando frases ácidas e teorias sobre o caos no mundo em que vivemos. Num certo dia uma garota (Evan Rachel Wood) aparece em sua porta pedindo comida e abrigo, o que a princípio ele desconfia mas acaba oferecendo seu sofá a jovem. As diferenças de idade, formação cultural e familiar não impede que a jovem se apegue ao mau humorado homem e inicie uma curiosa relação.

Esta volta de Woody Allen à Nova Iorque retoma o estilo que consagrou o diretor, com uma mistura de vários detalhes comuns a sua filmografia, como a diferença de idade no relacionamento (lembra “Poderosa Afrodite” e vida real de Allen também), diálogos afiados com piadas inteligentes e Larry David como seu alter ego, sendo que os dois são judeus e adoram fazer piada em cima da própria religião e das outras também.

O grande destaque é a atuação de Larry David, que interpreta um papel semelhante ao que faz na série “Curb Your Entusiasm”, soltando frases mal educadas, teorias sempre reclamando da humanidade e acreditando que no final apenas o universo pode fazer tudo dar certo.

7 comentários:

Clenio disse...

Sou grande fã de Woody Allen, mas confesso que esperava mais de "Tudo pode dar certo". Acho que, apesar de algumas tiradas hilariantes, o filme peca por ser um tanto inverossímil e ter uma personagem central extremamente antipática. Não gosto de Larry David (acho que o próprio Allen poderia ter interpretado o protagonista com maior verve) e considero o final "feliz" um tanto forçadinho.

Mas ainda assim é uma opção inteligente e agradável, nem que seja pra conferir a atuação sensacional de Patricia Clarkson.

Abração
Clênio
www.lennysmind.blogspot.com
www.clenio-umfilmepordia.blogspot.com

Nekas disse...

Não é o seu melhor trabalho mas foi um bom regresso
a sua cidade.

Abraço
Cinema as my World

Marcio Melo disse...

Muito bom, mesmo não sendo o melhor trabalho de Allen, a diversão é garantida

Mateus Souza disse...

Gostei muito desse filme. E acho que daqui pra frente é isso o que teremos de Allen, filmes menos pretenciosos.

Uma pena ter tido um circuito tão restrito por aqui, isso sem falar do atraso para chegar (um ano, para ser mais exato).

Abraço

Dan disse...

Oi meu querido palmeirense, passando para agradecer suas palavras e lhe dar um abraço.

Hugo disse...

Clenio - Concordo quanto ao final feliz, mas ele segue o título do filme.
Gosto de Larry David, ele é um sujeito tão irritante que chega a ser bem engraçado.

Nekas - Nova Iorque é a casa de Woody Allen.

Marcio - Fica até difícil escolher seu melhor. A carreira de Allen é de quase um filme por ano.

Mateus - Este é o tipo de filme sai de cartaz rapidamente em cidades com poucas salas.

Dan - Valeu pelo retorno.

Abraço a todos

Alan Raspante disse...

Eu não vi, mas esse é o mesmo problema de 'A Single Man', o filme não chega nos cinemas da minha cidade muito menos em DVD....