quarta-feira, 3 de março de 2010

Divã

Divã (Brasil, 2009) – Nota 6
Direção – José Alvarenga Jr
Elenco – Lília Cabral, José Mayer, Reynaldo Gianecchini, Cauã Reymond, Alexandra Richter, Eduardo Lago, Antonio Pedro, Elias Gleiser .

A dona de casa Mercedes (Lília Cabral) é casada com Gustavo (José Mayer) há mais de vinte anos, tem os filhos praticamente criados, parece ser feliz mas mesmo assim resolve consultar um psicanalista e começa a acreditar que sua vida é vazia e que precisa mudar o comportamento. Após desconfiar que o marido a está traindo, ela inicia um caso com Theo (Reynaldo Gianecchini), sujeito bem mais novo e resolve se separar de Gustavo. Depois de algum tempo ele tem um aventura com outro jovem, ainda mais novo (Cauã Reymond), mas aos poucos começa a perceber que a separação pode não ter sido a melhor escolha.

O ponto alto do longa é a interpretação Lília Cabral, que cria uma personagem simpática ao público com sensibilidade e até um certo carisma. Por outro lado a história não empolga, lembra as tramas de novela e inclusive usa vários clichês de TV, como os jovens galãs que se interessam pela mulher mais velha, interpretados pelos péssimos Gianecchini e Cauã Reymond.

Acaba sendo o tipo de filme que agrada as mulheres, principalmente aquelas que também gostam de novela.

É curioso apenas ver o sempre machão e conquistador José Mayer fazendo o papel do sujeito traído.

4 comentários:

Amanda Aouad disse...

Concordo que não seja lá essas coisas toda em termos de, digamos, conteúdo. Mas, eu me diverti muito vendo o filme, hehe, daria uma nota um pouco mais generosa. E, com certeza, Lílian Cabral é a melhor coisa.vallyc

HLuis disse...

Aceita parceria?
www.ruidodeumclaquete.blogspot.com

Hugo disse...

Amanda - Lília Cabral é o melhor do filme.

Luís - Vou linkar seu endereço aqui.

Abraço

O Cara da Locadora disse...

Gente, só eu chorei várias vezes no filme? Rs... Lília Cabral é uma excelente atriz mas, apesar dela, o filme é realmente meia boca - mesmo eu tendo chorado, rs...