domingo, 29 de novembro de 2009

Spartan

Spartan (Spartan, EUA, 2004) – Nota 7
Direção – David Mamet
Elenco – Val Kilmer, Derek Luke, William H.Macy, Ed O’Neill, Tia Texada, Clark Gregg, David Paymer, Johnny Messner, Steven Culp, Aaron Stanford, Mark Pellegrino, Said Taghmaoui, Kristen Bell.

Scott (Val Kilmer) trabalha em uma agência secreta do governo que no momento precisa resgatar a filha de um importante político (vivida por Kristen Bell de “Heroes), que na história não é confirmado mas dá a entender ser o presidente. As investigações levam a crer que a garota foi seqüestrada por traficantes de mulheres. Com métodos violentos, Scott age a sua maneira para encontrar a garota, com a ajuda de seu ex-aluno Curt (Derek Luke), mas o que parece ser um seqüestro comum aos poucos se mostra algo ainda mais profundo, com implicações em gente poderosa do governo.

O diretor e roteirista David Mamet de diversos trabalhos no cinema, como a direção de “Homícidio” e o roteiro de “Os Intocáveis”, aqui cria uma história que mostra como os interesses dos poderosos e a política se acham acima de tudo e de todos e mesmo aqueles que apóiam cegamente este tipo de ação podem ser descartados quando não mais tiverem utilidade.

O filme tem bons nomes no elenco e Val Kilmer dá conta do recado como o sujeito que sempre foi frio e obediente, mas que em certo momento acaba percebendo que tem de mudar para sobreviver. O ponto mal aproveitado é a pequena participação do ótimo William H. Macy, que interpreta um personagem fundamental na história, mas tem poucas cenas.

3 comentários:

→ Cleber Eldridge disse...

Gosto tanto o Willian H. Macy, mas ele vacila tanto que me decepciona, só de pensar que ele partipou do obras-primas como Magnólia e o maravilhoso Fargo!

Jeniss Walker disse...

é um filme bem ruinzinho esse, Hugo. ainda bem que conferi ele de gratis (hehehehe!). abraço :)

Hugo disse...

Cléber - Aqui ele aceitou um papel confuso, provavelmente por sua amizade com o diretor David Mamet, com quem ele trabalhou em alguns outros filmes melhores, como "Oleanna".

Jennis - Não achei tão ruim, talvez por ter assistido sem expectativa alguma.

Abraço