quinta-feira, 26 de março de 2009

O Garoto que Podia Voar e A TV Mágica


O Garoto que Podia Voar (The Boy Who Could Fly, EUA, 1986) – Nota 6
Direção – Nick Castle
Elenco – Jay Underwood, Lucy Deakins, Bonnie Bedelia, Fred Savage, Colleen Dewhurst, Louise Fletcher, Fred Gwynne, Cameron Bancroft, Jason Priestley.

A TV Mágica (Billion for Boris, EUA, 1984) – Nota 5
Direção – Alex Grasshoff
Elenco – Scott Tyler, Mary Tanner, Seth Green, Lee Grant, Tim Kazurinsky.

Podemos considerar os anos oitenta como o início dos filmes estrelados por adolescentes, até antes disto aconteciam apenas casos esporádicos de adolescentes astros, podemos citar Judy Garland nos anos trinta, Elizabeth Taylor e Mickey Rooney nos anos quarenta e alguns outros que faziam filmes para Disney, como Kurt Russell e Jodie Foster por exemplo, que depois de adulto fizeram uma grande carreira. Porém nesta explosão de jovens, apareceram muitos que são famosos até hoje, como Tom Cruise, John Cusack e Charlie Sheen, mas muitos outros estrelaram alguns filmes e depois sumiram. Estas duas obras de fantasia são um exemplo disto.

Em "O Garoto que Podia Voar", um garoto (Jay Undewood) perde os pais num acidente de avião e se fecha para o mundo. Vivendo com o tio alcoólatra (Fred Gwynne da série “Os Monstros”) ele é tratado com um autista, porém no colégio acaba conquistando como amiga uma garota (Lucy Deakins), que com amor e carinho tenta trazer o garoto de volta ao mundo real e nesse processo ele descobre que pode voar. Fantasia adocicada e sensível que mistura em pequenas doses drama e romance e tem como curiosidade o bom elenco de apoio, que tem ainda Bonnie Bedelia e Louise Fletcher, além do garoto Fred Savage de “Anos Incríveis” ainda bem criança.

Já em "A TV Mágica", o garoto Boris (Scott Tyler) ganha uma TV em preto e branco quebrada, porém ao conserta-la ela começa a passar a programação do dia seguinte. Aproveitando do presente mágico, ele junto com a amiga Annabel (Mary Tanner) começam a apostar em corridas de cavalo e ganhar muito dinheiro. Além disso tentam mudar alguns outros acontecimentos e arrumam muita confusão. Comédia simpática com uma dupla de protagonistas que não vingou e a participação de Seth Green ainda bem garoto. Apenas uma sessão da tarde descompromissada.

2 comentários:

THIAGO PAULO disse...

E ai... Tudo bem? Então... Quando eu era criança adorova assistir ao filme O Garoto que Podia Voar, adorava mesmo. Não perdia nenhuma reprise...kkkkkk. Já esse outro não me lembro,não!

Abraços...

Hugo disse...

Thiago - São filmes da sessão da tarde.

Abraço