quarta-feira, 11 de março de 2009

Hill Street Blues

Hill Street Blues (Hill Street Blues, EUA, 1981 a 1987)
Criação: Steven Bochco
Produção: Scott Brazil
Elenco - Daniel J. Travanti, Bruce Weitz, Betty Thomas, Michael Warren, Taurean Blacque, Kiel Martin, Charles Haid, Veronica Hamel, James B. Sikking, Joe Spano, Barbara Bosson, Rene Enriques, Ed Marinaro, Robert Hirschfeld, Michael Conrad, Jon Cypher, Ken Olin, Mimi Kuzyk.

Quando comecei a acompanhar a tv por assinatura no final dos anos noventa, o número de canais era bem menor que hoje e aqueles que eram especializados em seriados exibiam na sua maioria temporadas atrasadas e principalmente séries antigas. Neste contexto foi que descobri a série policial “Hill Street Blues”, produzida entre 1981 e 1987, ela mostrava o dia a dia em uma delegacia de policia num violento e pobre bairro de Nova Iorque. Com personagens carismáticos e histórias realistas, que não apelavam para ação espetacular, a série foi um divisor de águas no gênero e base para outras mais violentas como “Nova Iorque Contra o Crime” e “The Shield”, desenvolvidas pela mesma dupla de produtores, Steven Bochco e o falecido Scott Brazil.

Com muitos personagens fixos, cada episódio trazia duas ou três histórias paralelas e quase sempre começava com um reunião matinal onde o Sargento (primeiro Michael Conrad que faleceu durante a série e depois o veterano Robert Prosky) passava as ordens do dia e as prioridades para oficiais e detetives nas ruas. A delegacia era comandada pelo Tenente Frank Furillo (Daniel J. Travanti) sujeito honesto, porém ex-alcoólatra que dividia seu tempo ainda com a complicada ex-mulher (Barbara Bosson) e a namorada atual, a advogada Joyce Davenport (a bela Veronica Hamel). Entre os vários personagens destacam-sem a dupla de patrulheiros Hill e Renko (Michael Warren e Charles Haid) com um amizade de irmãos e problemas na mesma medida, outra dupla, esta de detetives malandros de rua Neal Washington e J.D. (Taurean Blacque e Kiel Martin) e por último o engraçado e ao mesmo tempo sério Mick Belker (Bruce Weitz), que sempre se disfarçava dos mais variados e estranhos tipos para pegar bandidos e era um dos destaques da série.

Nem tão séria ou violenta coma as séries posteriores citadas, “Hill Street Blues” ganhou público e fez sucesso pelo seu realismo e as histórias que mostravam além da vida policial, também os dramas pessoais de cada personagem, além dos erros e acertos que todo ser humano comete não importando qual a sua profissão.

Como curiosidade, esta série chegar a passar na tv aberta durante os anos oitenta com o título de “Chumbo Grosso”.

4 comentários:

Red Dust disse...

Uma grande série. Marcou os anos 80 em Portugal. Por cá chamou-se 'Balada De Hill Street'. Por acaso um canal está a fazer a reposição e mantenho a opinião: ultrapassa muito 'lixo' do que se faz hoje para a televisão. Aconselho a todos a descobrir esta 'pérola'.

Abraço.

Gema disse...

Também assisti a essa série cá em Portugal. Tinha o nome que o Red Dust disse.
Era uma série espectacular e como eu estou sempre a dizer - agora que revejo muitos filmes e séries dos anos 80 ou mais antigas - acho, sinceramente, que muitos deles(as) conseguem ser muito melhores dos que se fazem hoje em dia e tinham muito menos recursos.
Muito bom mesmo.
Fica bem ;)

THIAGO PAULO disse...

Olá, esqueci de vim te dizer. mais deixei um desafio pra você lá no meu blog. Postar os 10 filmes mais esperado por vc este ano.

Abraços....

Hugo disse...

Red e Gema - Infelizmente poucas pessoas da nova geração conhecem este seriado, com certeza uma pérola. Aqui no Brasil os canais fechados deixaram de exibir há vários anos. Espero que um dia reapresentem a série.

Thiago - Valeu, um abraço.