terça-feira, 18 de novembro de 2008

Eles Não Usam Black-Tie & Garotas do ABC

Eles Não Usam Black-Tie (Brasil, 1981) – Nota 8
Direção – Leon Hirszman
Elenco – Gianfancesco Guarnieri, Fernando Montenegro, Bete Mendes, Carlos Alberto Riccelli, Lélia Abramo, Milton Gonçalves.

Garotas do ABC (Brasil, 2003) – Nota 7,5
Direção – Carlos Reichenbach
Elenco – Michelle Valle, Vanessa Alves, Natália Lorda, Luciele Di Camargo, Vanessa Goulart, Fernanda Carvalho Leite, Marcia de Oliveira, Viviane Porto, Selton Mello, Antonio Pitanga, Rocco Pitanga, Ângela Correa, Fernando Pavão, Dionísio Neto, Milhem Cortaz, Fábio Ferreira Dias, Ênio Gonçalves, Adriano Stuart, Vera Mancini, Alessandro Azevedo, Fafá de Belém.

Dois filmes produzidos com mais de vinte anos de diferença, mas que tem como palco o mesmo local, a região ao ABC paulista, uma região que foi marco da industrialização no Brasil e nos anos setenta virou palco do movimento sindical e agora nos século XXI perdeu grande partes de suas fábricas para outras cidades. Estes filmes mostram com clareza a realidade e as dificuldades de trabalhadores desta região nestas épocas distintas.

Baseado na peça de Gianfrancesco Guarnieri que inclusive encabeça o elenco, "Eles Não Usam Blakck-Tie" conta a história de uma família onde pai e filho são operários em uma fábrica no ABC paulista durante os anos setenta, sendo o pai (Gianfrancesco Guarnieri) um líder sindical e o filho (Carlos Alberto Riccelli) um simples operário, que acaba engravidando a namorada (Bete Mendes) no mesmo momento em que o pai lidera um greve. Preocupado em perder o emprego e não ter como sustentar o filho que está para nascer, ele resolve furar a greve e inicia um sério conflito familiar.

Este ótimo drama feito numa época em que ainda vivíamos sob a ditadura militar e qualquer tentativa de greve era visto como crime, além de acabar com centenas de pessoas perdendo seus empregos ou até mesmo sendo presas, mostra como esta situação influenciava no convivio familiar e na luta pela sobrevivência. O filme foi premiado em vários festivais e fez a fama do falecido diretor Leon Hirszman.

O diretor Carlos Reichenbach tinha na cabeça a idéia de fazer mais do que um filme devido a grande quantidade de personagens envolvidos na trama, fora vários outros que foram cortados da produção, mas em virtude da falta de dinheiro e apoio, resolveu dirigir apenas este "Garotas do ABC" e nos brindou com uma boa surpresa.

O filme também se passa no ABC Paulista no tempo atual e é dividido em duas partes: A primeira se passa na Tecelagem Mazini e a segunda no salão de danças Democrático. A história gira em torno da vida profissional e pessoal de várias funcionárias da tecelagem, que durante a semana sofrem com problemas cotidianos, como transporte, trabalho estressante que inclui discussões e acidentes. Já no final de semana mostra a vida pessoal, o lazer e seus dramas.

A personagem principal é a operária Aurélia (Michelle Valle), desinibida e fã de homens musculosos, tem o apelido de Schwarzenega e namora com o rude Fábio (Fernando Pavão) que é ligado a um grupo racista liderado pelo advogado Salesiano de Carvalho (Selton Mello), um filhinho de papai que tenta assustar negros e nordestinos através de ataques covardes.

O resultado é bom, porém o grande número de personagens que transitam pela história poderiam realmente render mais de um filme, assim como pensou Reichenbach. Personagens como o jornalista Nelsinho Torres (Ênio Gonçalves) que investiga os racistas, sendo famoso pelas entrevistas com o justiceiros da região, como Maleita (Alessandro Azevedo), o sindicalista picareta Professor André Luís (Dionísio Neto), o delegado de polícia Osvaldo Sampaio (Adriano Stuart) e a líder da operárias Paula Nelson (Natália Lorda) são muito bem desenvolvidos e ligam várias pequenas histórias neste interessante drama urbano.

4 comentários:

Kamila disse...

Ainda não assisti nenhum dos dois filmes e sempre tive curiosidade para conferir "Eles Não Usam Black Tie".

THIAGO PAULO disse...

Olá, desculpe o sumiço :)
Eu já ouvi falar muito desse filma, pricipalmente quando Gianfrancesco Guarnieri faleceu, porém, nunca o vi.
Mais um dia quem sabe!!

Abraços...

Kau disse...

Meu avô fez-me assistir Eles Não Usam Black-Tie e achei super legal. Gianfrancesco e Fernanda nos mostram uma química impressionante...

Abs!!

Hugo disse...

Kamila - Se tiver oportunidade assista, é um ótimo filme.

Thiago - Guarnieri era extremamente talentoso.

Kau - Sem dúvida, um par central de primeira.